A quem se destina

  Escolhendo seu kit

  Antes de começar

  Montando a cabine

  Cockpit em 8 passos

  Os Canopies

  Fazendo Canopis

  Re-Scribbing

  Rebites

  Estais

  Metal Fatigado

  Shading

  Giz Pastel

  Wash

  Envelhecimento

  Em Andamento...

  Especiais

  Walk-Arounds

  Downloads

  Referências

  Sites de Aviões

  Outros Sites

 <<Voltar
Wing Commander Cosme Lockwood Gomm DSO, DFC, RAF


Distinguished Flying Cross


Distinguished Service Order

N.E: Já existe um texto sobre Cosme Lockwwod Gomm aqui. Algumas informações contidas neste, inclusive, são também de , que escreve esse texto. Ao invés de juntar as informações em um único texto, Decidi manter dois textos distintos, pelas diferenças na forma de apresentação, ainda que haja informações redundantes.


Cosme Lockwood Gomm nasceu em 15.11.1913, em Curitiba, filho de Harry Herbert Gomm e Isabel Whiters Gomm, cidadãos britânicos residentes em nosso país. Em 1932, Cosme Gomm residia em São Paulo e vivenciou a Revolução Constitucionalista que eclodiu na capital com repercussão nacional. Decidiu transferir-se para a Inglaterra e ingressar na Royal Air Force, já que possuía também a cidadania inglesa. Em 07.11.33 é comissionado como Oficial Aviador e recebeu a matrícula militar RAF 34123.


Sua primeira designação foi em 01.10.34 para o 45o Esquadrão de bombardeio, estacionado no Oriente Médio e voando o Fairey IIIF em destacamentos em Amã na Jordânia, Gaza na Palestina, Ismaília no Egito, Hinaidi, Shaibah e Mosul no Iraque e Eastleigh no Quênia. Em 07.08.36 foi promovido a Flying Officer. O Esquadrão mudou de equipamento para os biplanos de observação Hawker Hart e para os biplanos de bombardeiros Vickers Vincent em 1935, usando-os simultaneamente até trocá-los pelos biplanos Fairey Gordon em 1936, agora com base somente em Eastleigh.


Cosme Lockwood Gomm.


Fairey IIIF da RAF.


Biplano Hawker Hart da RAF, igual ao usado pelo 45o.


Vickers Vincent sobre o Egito.


Vickers Vincent K4671, do 45o Esquadrão, pilotado pelo F/O F. S. Hyett, que entrou em perda numa decolagem em formação, em Aboukir, Egito, em 24.03.36.


Distintivo do 14o Esquadrão RAF.

Em 30 de março de 1937 o Flying Officer Gomm foi transferido para o 14o Esquadrão de bombardeio, voando os biplanos Fairey Gordon desde Amã, Jordânia. Em 07.08.37 foi comissionado Flying Lieutenant em exercício. A efetivação da promoção ocorreu um ano depois em 07.08.38. O Esquadrão havia trocado de equipamento para o monoplano Vickers Wellesley desde março de 1938 e continuou baseado em Amã.


Fairey Gordon da RAF no Oriente Médio.


Vickers Wellesley do 14o Esquadrão sobre as montanhas da Jordânia. Note o emblema no esquadrão na deriva.

Após esse período no oriente, o F/L Gomm retornou à Inglaterra em 15.02.39 para servir como instrutor na 10a Escola de Treinamento Aéreo (10 SFTS), deslocando-se em 15.01.40 para o Canadá, para um período como instrutor na 1a Escola de Treinamento Aéreo daquele país.

No retorno à Inglaterra foi alocado ao 77o Esquadrão em 08.07.40, subordinado ao 4o Grupo do Comando de Bombardeiros. O Esquadrão utilizava o bimotor de bombardeio Armstrong Withworth Whitley V, que portavam o código KN, a partir da base de Driffield, passando para a base de Linton-on-Ouse em 28 de agosto, após Driffield ter sido atacada por bombardeiros Ju 88s da KG 3O da Luftwaffe, ficando seriamente danificada. Foi para a base de Topcliffe em 05 de outubro. Gomm foi desligado desse esquadrão, indo para a 54a Unidade de Treinamento Operacional (54 OTU).


Distintivo do 77o Esquadrão RAF.


O Bombardeiro bimotor Armstrong Withworth Witley do 77o Esquadrão da RAF.


Bombardeiros Whitley do 77o Esquadrão da RAF.


Rasante de um Halifax do 77o Esquadrão. Estes aviões substituíram os Whitleys após a saída do W/C Gomm do esquadrão.

Em 17.03.41 O W/C Gomm foi transferido para o 604o Esquadrão (County of Middlesex), sob o comando do já famoso Wing Commander John "Cat Eyes" Cunningham, baseado em Middle Wallop e subordinado ao 10o Grupo do Comando de Caças, voando o bimotor Bristol Beaufighter 1F. Essa versão do Beaufighter estava equipada para a função de caça noturno com radar A. I. Mk.IV, 4 canhões Hispano de 20 mm no ventre e 6 metralhadoras Browning .303 nas asas. Usavam pintura inteiramente preta fosca com códigos em cinza azulado. Nesse Esquadrão Gomm completou seu primeiro turno de missões que havia começado no 77o Esquadrão e abateu 3 Heinkel He 111 em missões noturnas. No dia 18 de abril, o W/C Gomm foi agraciado com a Distinguished Flying Cross - DFC.


Distintivo do 604o Esquadrão da RAF.


Bristol Beaufighter 1F, série T4638, código NG-F, do 604o Esquadrão da RAF, na base de Middle Wallop, em 1940-41. Cores: preto super fosco RDM2, códigos do esquadrão em cinza azulado e números de série em vermelho fosco, distintivos nas laterais da fuselagem e nas superfícies superiores das asas, cores nacionais nos dois lados da deriva. Dois tripulantes: piloto e observador-radar. Dois motores radiais Bristol Taurus de 14 cilindros com 1.400 hp. Envergadura 57 pés 10 polegadas, comprimento 41' 4 ", altura 15' 10". Peso vazio 13.800 libras e máximo 21.000 lbs. Velocidade máxima 301 mph a 20.200 pés.


Beaufighter IF T4638 do 604o Esquadrão RAF.

Em 01.06.41, Gomm foi promovido provisoriamente a Squadron Leader (Major) e transferido para o Quartel General do 10o Grupo (Caça), onde assumiu no dia 20. No dia 28 ainda de junho foi nomeado comandante da Base Aérea de Colerne. Função que desempenhou até 17 de setembro quando foi alocado à 51o Unidade de Treinamento Operacional (51 OTU) para um curso de qualificação em quadrimotores. Em 17 de novembro foi comissionado como piloto de provas de quadrimotores, ligado ao QG da RAF.

Foi temporariamente nomeado Wing Commander (posto equivalente a Tenente Coronel) em 01.06.42 e em 1o de setembro teve efetivada sua promoção a Squadron Leader.

Em 07.11.42, já no posto de Wing Commander temporário e condecorado com a Distinguished Flying Cross, Cosme Gomm ofereceu-se como voluntário para um segundo turno de operações. Aceito, foi nomeado comandante do 467o Esquadrão (Australiano), formado em Scampton com pessoal australiano e subordinado ao 5o Grupo do Comando de Bombardeiros. Em 24.11.42 o esquadrão mudou sua base para Bottesford, Nottinghamshire, Midlands, equipado com bombardeiros quadrimotores Avro Lancaster B.I e B.III, aparelhos que o usou até sua desativação em 30.09.45. O comandante Gomm foi condecorado com a Distinguished Service Order - DSO em 11.6.43.


Distintivo do 467o Esquadrão da RAF.


Um bombardeiro quadrimotor Lancaster pronto para uma decolagem noturna.


Lancaster do 467o Esq (RAAF)

Sobre o raid da noite de 20/21.06.43, transcrevemos o seguinte tópico do livro Bomber Command War Diaries:

60 Lancasters foram alocados para o ataque à empresa Zeppelin, na cidade de Friedrichshaven, às margens do Lago Constance (Bodensee). Essa fábrica produzia conjuntos de radar Würzburg, parte importante do sistema de controle dos caças noturnos alemães, através do qual o Bomber Command tinha que voar cada vez que atacava um objetivo na Alemanha.

Esse foi um raid especial com novas e interessantes táticas. Como no recente Dam Raid (refere-se ao muito famoso raid do Esquadrão 617o às represas Möhne, Eder e Sorpe na noite de 16/17.05.43), o ataque deveria ser controlado pelo piloto de um dos Lancasters. Essa modalidade viria a ser conhecida como a técnica do "Master Bomber". O planejamento foi efetuado pelo 5o Grupo que forneceu o Master Bomber - Group Captain (Coronel) L. C. Slee e quase todos os bombardeiros envolvidos; o 8o Grupo Pathfinder enviou 4 Lancasters marcadores de alvo do 97o Esquadrão.

O aparelho do Group Captain Slee apresentou falhas nos motores e a função de Master Bomber foi passada ao segundo em comando, Wing Commander C. L. Gomm do 467o Esquadrão. O ataque, como no recente raid a Le Creusot, França, deveria se desenvolver entre 5.000 a 10.000 pés em noite de lua clara. Como a artilharia antiaérea e os holofotes estavam muito ativos, o W/C Gomm ordenou à força de bombardeiros que subisse mais 5.000 pés. Infelizmente o vento a essa nova altitude estava mais forte que o previsto, causando dificuldades.

O bombardeio foi em duas partes. As primeiras bombas foram miradas nos indicadores de alvo lançados por um dos aviões dos Pathfinders. A segunda fase foi uma corrida de bombardeio cronometrada a partir de um ponto às margens do lago e até o ponto da posição estimada da fábrica. Esta era uma técnica em desenvolvimento pelo 5o Grupo. O reconhecimento fotográfico mostrou que cerca de 10 por cento das bombas atingiu a pequena fábrica onde muito estrago foi causado. Outras fábricas nas proximidades também foram atingidas. Sabe-se que 44 pessoas foram mortas em Friedrichshaven nessa noite.

A força de bombardeiros iludiu os caças noturnos alemães que esperavam seu retorno sobre a França, ao efetuar o primeiro raid com pouso na África. Nenhum Lancaster foi perdido.

Na volta da África para as bases na Inglaterra na noite de 23/24 de junho, a força bombardeou o porto de La Spezia, na Itália, atingindo depósitos de armas e combustível, novamente sem sofrer baixas.


Foto aérea tirada por avião de reconhecimento após o raid à Friedrichshaven, mostrando os danos causados em torno do grande hangar da fábrica Zeppelin.

Na noite de 15 para 16.08.43, o 467o fez parte de um raid de 199 quadrimotores dos 1o, 5o e 8o Grupos que atacaram Milão e Turim a partir de suas bases na Inglaterra. Foi a 24a missão do segundo turno de operações do Wing Commander Gomm. Sete bombardeiros foram perdidos nesse raid, a maioria na viagem de retorno, sobre a França. O Lancaster B.III ED998, código PO-Y do Wing Commander decolou de Bottesford às 20:34 horas e foi um dos abatidos. Caiu perto da cidade de Chartres às 23:30 horas. Dos 7 tripulantes, salvou-se apenas o Sargento J. R. Lee que foi feito prisioneiro pelos alemães e levado para o campo de concentração da Luftwaffe em Sagan. Além do piloto e do Sargento Lee, faziam parte da tripulação o Pilot Officer K. Gibson, Flying Officer T. J. Phillips, F/O A. H. Reardon RAAF, P/O H. N. Pritchard e Warrant Officer L. L. McKenny RAAF. Os mortos foram sepultados no cemitério da cidade de Chartres. Seus despojos foram transferidos depois da guerra para o Cemitério Militar de Saint Desir nos Calvados, França. Gomm tinha 29 anos de idade e seu corpo encontra-se na sepultura 7-G-C-6.

O livro Luftwaffe Night Fighters Combat Claims relaciona 4 pilotos do 2. Staffel da Jagdgeschwader 2 que relataram vitórias contra 3 Lancaster e um Halifax sobre a França naquela noite. O 2./JG 2 estava baseado em St. André e equipado com caças diurnos Fw 190A-5. Os pilotos vitoriosos eram:

PilotoVítimaLocalidadeHoraAltitude em metros
Feldwebel German ElfleinLancaster6 km SE Chartres23:204.300
Leutenant Detlef GrossfüssHalifax3 km SSW Rugles23:204.000
Oberfeldwebel Josef BiggeLancasterCourville23:234.300
Unterfeldwebel Herbert BenzLancasterGrigny23:264.200

Os outros bombardeiros perdidos nesse raid foram:

TipoSerial No.CódigoEsq.BasePilotoCircunstâncias
Lancaster B.IIDS684KO-M115oLittle SnoringSquadron Leader J R WatsonCaiu perto de Alençon, França. 7 mortos
Lancaster B.IED498EM-O207oLangarPilot Officer R G PearceyAtingido pela flak perto de Beauzeval, França. 6 mortos e um prisioneiro de guerra.
Lancaster B.IIIJA675PO-F467oBottesfordFlight Lieutenant J McD SullivanAbatido por caça noturno perto de Chartres, França. 5 mortos e 2 prisioneiros.
Halifax B.IIHR880TL-K35oGraveleySquadron Leader P A Haggarty DFCAbatido pela flak sobre Milão. 5 mortos e 2 prisioneiros
Stirling B.IIIEH884HA-X218oDownham MarketWarrant Officer S F ChudzikAbatido no trajeto de ida por caça noturno sobre Amberieu, França . 5 mortos, 1 prisioneiro e um evadido
Halifax B.IIHR856LQ-W405oGransden LodgePilot Officer P W Manning DFCDesapareceu sem deixar vestígios. 7 tripulantes dados como desaparecidos

Em 20.08.43, o Ministério do Ar britânico informou a família no Brasil sobre o desaparecimento em combate do Wing Commander Gomm. A confirmação de seu falecimento foi feita pela Cruz Vermelha Internacional dias depois. A Câmara Municipal de Curitiba homenageou o aviador dando seu nome a uma rua no bairro do Bigorrilho.

O Esquadrão 467o efetuou 3.833 surtidas com bombardeiros Lancaster e perdeu 104 aparelhos em 299 raids de bombardeio e 15 raids de lançamento de minas marítimas. Outros 14 Lancasters foram perdidos em acidentes.

O Lancaster B.I, R5868, preservado no Museu da RAF, em Hendon, Londres, ostenta o código do 467o. Trata-se de um aparelho utilizado a partir de junho de 1942 pelo 83o Esquadrão como OL-Q, depois transferido ao 467o, onde recebeu o código PO-S. Após a guerra, foi mantido até 1971 na entrada da base de Scamton e hoje perpetua a memória de um dos mais famosos esquadrões do Bomber Command durante a Segunda Guerra Mundial. Sob a janela do piloto foi pintado o perfil de 137 bombas amarelas - representando as missões cumpridas pelo bombardeio - e a frase: "Nunca um avião inimigo sobrevoará o território do Reich. Hermann Goering".


O Lancaster PO-S no Museu da RAF, em Hendon, Londres.

Também no Imperial War Museum, Lambeth, Londres, encontra-se em exposição permanente a fuselagem dianteira de outro bombardeiro do 467o, o Lancaster B.I DV372 código PO F, "Old Fred", ostentando símbolos representativos de 49 missões executadas com o Esquadrão.


O Lancaster DV 372, PO-F "Old Fred" durante a guerra com a tripulação do F/L Jim Marshall RAAF.


A parte dianteira da fuselagem do Old Fred no Imperial War Museum, Londres.

Cópia da página do Diário de Operações do Esquadrão 467 correspondente à missão do W/C Gomm no dia 15/16 de agosto de 1943:


Missões do Wing Commander Gomm com o Esquadrão 467 (2o turno de operações)

ORDEMDATAALVOLancaster de GommOBSERVAÇõES
116/17.1.43BerlimW4823Primeiro raid em Berlim após 14 meses de ausência da RAF. Primeiro raid com somente quadrimotores: 190 Lancasters e 11 Halifaxes voando a grande altura. Um Lancaster perdido para a Flak.
223/24.1.43DusseldorfW482380 Lancasters e 3 Mosquitos marcadores bombardearam através das nuvens. 2 Lancasters perdidos
330/31.1.43HamburgoW4823135 Lancasters com 7 Stirlings e 6 Halifaxes marcadores de alvo, no primeiro ataque com radar H2S da guerra. 8 Lancasters perdidos, 3 deles na Inglaterra na fase de pouso
413/14.2.43Lorient, FrançaED699164 Lancasters, 140 Wellingtons, 96 Halifaxes e 66 Stirlings. Primeiro raid onde foram lançadas mais de 1.000 toneladas de bombas. 12 aviões perdidos inclusive 4 Lancasters
526/27.2.43ColôniaED530145 Lancasters, 126 Wellingtons, 106 Halifaxes, 46 Stirlings e 4 Mosquitos marcadores. 10 aviões perdidos inclusive 3 Lancaster
61/2.3.43BerlimED539 PO.V156 Lancasters, 86 Halifaxes, 60 Stirlings. 20 aviões perdidos, inclusive 9 Lancaster
73/4.3.43HamburgoED539 PO.V149 Lancasters, 123 Wellingtons, 83 Halifaxes, 62 Stirlings. 10 aviões perdidos inclusive 7 Lancasters
85/6.3.43EssenNão identificado157 Lancasters, 131 Wellingtons, 94 Halifaxes, 52 Stirlings e 8 Mosquitos marcadores com equipamento Oboe. Foi a missão número 100.000 do Bomber Command. 16 aviões perdidos inclusive Lancasters..
98/9.3.43NurembergED500170 Lancasters, 103 Halifaxes, 62 Stirlings. 9 aviões perdidos, 2 Lancasters.
1012/13.3.43EssenED651158 Wellingtons, 156 Lancasters, 91 Halifaxes, 42 Stirlings e 10 Mosquitos. 25 aviões perdidos, inclusive 8 Lancaster
113/4.4.43EssenED737 PO.F225 Lancasters, 113 Halifaxes e 10 Mosquitos. 24 quadrimotores perdidos, inclusive 9 Lancasters, entre eles o ED524 PO.T do 467o Esquadrão, primeiro bombardeiro do Esquadrão perdido em missão liderada pelo W/C Gomm.
128/9.4.43DuisburgED695156 Lancasters, 97 Wellingtons, 73 Halifaxes, 56 Stirlings, 10 Mosquitos. 22 aviões perdidos. 6 Lancasters
1313/14.4.43La Spezia, ItáliaED547 PO.M208 Lancasters e 3 Halifaxes. 5 Lancasters perdidos.
1416/17.4.43Pilsen, ChecoeslováquiaED547 PO.M.197 Lancasters e 130 Halifaxes. 39 quadrimotores perdidos sendo 19 Lancasters, inclusive o ED780 e o ED651 PO.Y do 467o Esquadrão.
154/5.5.43DortmundED504 PO.C255 Lancasters, 141 Halifaxes, 110 Wellingtons, 80 Stirlings e 10 Mosquitos. 41 aviões perdidos, inclusive 12 Lancasters.
1612/13.5.43DuisburgED657 PO.N238 Lancasters, 142 Halifaxes, 112 Wellingtons, 70 Stirlings e 10 Mosquitos. 38 aviões perdidos.10 Lancasters
1713/14.5.43PilsenED657 PO.N156 Lancasters e 12 Halifaxes. 10 Lancasters perdidos inclusive o ED543 PO.H do 467o Esquadrão.
1823/24.5.43DortmundW5003343 Lancasters, 199 Halifaxes, 151 Wellingtons, 120 Stirlings e 13 Mosquitos. 41 aviões perdidos inclusive 9 Lancasters.
1920/21.6.43FriedrichshafenED99860 Lancasters. Gomm foi o Master Bomber. Pouso na África. Não houve perdas.
2023/24.6.43La SpeziaED99852 Lancaster em retorno da África. Pousaram na Inglaterra após bombardear as docas de La Spezia. Sem perdas.
2124/25.7.43HamburgoED547 PO.M347 Lancasters, 246 Halifaxes, 125 Stirlings e 73 Wellingtons. 14 aviões perdidos inclusive 4 Lancasters. Tiras de alumínio "Windows" foram lançadas pela primeira vez na guerra para enganar os radares inimigos. Foram lançadas 2.284 toneladas de bombas.
2227/28.7.43HamburgoED992353 Lancasters, 244 Halifaxes, 116 Stirlings e 74 Wellingtons. 21 aviões abatidos, inclusive 11 Lancaster entre eles o W4946 PO.U e o W5003 PO.H do 467o. Foi a noite da tempestade de fogo em Hamburgo, causada pela união dos diversos incêndios. 40.000 mortos. No dia seguinte 1.200.000 habitantes deixaram a cidade.
237/8.8.43Gênova, ItáliaED530197 Lancasters para atacar Gênova, Turim e Milão. 3 Lancasters perdidos, um por acidente no pouso
2415/16.8.43Milão, ItáliaED998 PO.Y199 Lancasters. 7 perdidos já comentados.


Acima: O Avro Lancaster B. III, série ED998, código PO-Y, 467o Esquadrão da RAF, no qual foi abatido o Wing Commander Gomm em 15.08.43. Cores: preto por baixo e laterais, terra escuro e verde médio por cima, códigos em vermelho fosco com bordas amarelas e letra individual repetida na deriva; série em vermelho fosco, distintivos tipo A1 nas laterais da fuselagem e tipo B nas superfícies superiores das asas, cores nacionais nos dois lados da deriva, flâmula de Wing Commander sob a janela do piloto. Sete tripulantes. Quatro motores Packard Rolls Royce Merlin 28 de 1.390 hp. Envergadura 102', comprimento 69' 6 ", altura 20'. Peso vazio 36.900 libras, máximo 68.000 lbs. Velocidade máxima 287 mph a 11.500 pés.

Notas:

  1. No Comando de Bombardeiros da RAF, o turno de operações era de 50 missões. (The Bomber Command War Diaries, pg. 300). Raid é a operação efetuada por um conjunto de aeronaves. Conta-se como missão a operação desempenhada por cada uma das aeronave e tripulantes envolvidos.
  2. Medidas em pés e polegadas. Ex.: comprimento 69 pés e 6 polegadas abreviam-se 69' 6 ". O peso está computado em libras (lbs.), a velocidade em milhas por hora (mph) e a altitude em pés.
  3. Em 1943 o Comando de Bombardeiros compreendia os Grupos 1, 2, 3, 4, 5, 6, 8 e 100, com 90 esquadrões. O 5o Grupo, subordinava os Esquadrões 9, 44, 49, 50, 57, 61, 97, 106, 207, 463, 467, 617, 619 e 630, todos equipados com Lancaster.
  4. Os aviões da RAF recebem um número de série permanente (serial number) de 5 dígitos que é pintado nas laterais da fuselagem ou do leme.
  5. Durante a segunda guerra, os aviões da RAF ainda portavam na fuselagem um código para cada esquadrão (Squadron Code) composto de dois dígitos e mais uma letra (Individual Letter). Eram apresentados nos dois lados da insígnia da RAF e trocados sempre que o avião mudava de unidade. A insígnia tem variados tamanhos e cores, daí as designações A, A1, B, C, C1 etc. Nos dois lados da deriva aparecem as três cores nacionais (fin flash), sempre com o vermelho voltado para a frente do avião.
  6. Gruppen II e III da Nachtjagdgeschwader 4 da Luftwaffe. Trata-se dos Grupos II e III da 4a Ala de Caças Noturnos da Força Aérea Alemã.
  7. RAAF - Royal Australian Air Force.

    Texto:

    Eventos | Fórum | Eu Quero! | Mercado de Pulgas | Galeria
    Variedades | Como Construir | Dicas | Ferramentas
    Lojas no Brasil | Administrativo | Livros | Links

    Melhor visualizado em resolução 1366 x 768
Eventos Agendados
Junho
S T Q Q S S D
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30        

Julho
S T Q Q S S D
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31