Forração

  Rotores

  Em Andamento...

  Walk-Arounds

 <<Voltar
Academy OH6-A Cayuse 1/48

INTRODUÇÃO:

Saudações a Todos!

Quando bem jovem, sempre montei 1/72 (por questões óbvias de espaço) e depois que conheci a escala 1/32, passei a adotá-la como "minha nova escala" podendo exercer nela um detalhamento bem melhor se comparado a 1/72, porém esbarrando novamente no problema de espaço. Experimentando a escala 1/48, obtive êxito nas duas situações: detalhamento razoável e melhor aproveitamento do espaço! Mas isso não quer dizer que agora só vou montar 1/48... O que vier tá valendo. Cada caso é um caso!

Mas o que quero mostrar é outra coisa: Todo modelista com "anos de estrada" acaba com o tempo por adotar determinados segmentos de montagem. No meu caso, hoje só faço trabalhos de "conversão", tentando mudar determinado kit para outro que não exista no mercado ou que seja um "desafio" para mostrar que é possível determinada conversão.

Neste GT 22 "Helicópteros", tentarei mostrar uma conversão de um kit padrão MD 500 para o famoso OH-6A usado na Guerra do Vietnam, usando o scratchbuilding como ponto de apoio.

Trata-se de um kit simples e bem feito (a ACADEMY geralmente tem boa qualidade), mas que não é o kit do modelo pretendido para finalização.

Pela simplicidade aparentemente apresentada pelo conjunto, decidi participar deste GT 22 por acreditar que o trabalho será relativamente rápido (6 a 8 meses). Claro, pode parecer um tempo grande para vocês, mas para mim, acostumado a no mínimo 01 ano de trabalho, tal medida de tempo é um recorde e tanto!

Espero fazer uma boa montagem neste kit seguindo os padrões que costumeiramente apresento nos meus modelos e divertir a todos, sempre "Compartilhando o Conhecimento"!

Fiquem à vontade para comentar, criticar e sugerir correções no decorrer dessa montagem.

Mãos à Obra!


UM POUCO DE HISTÓRIA:

A história deste helicóptero é interessante e por isso vou dividi-la em pequenas partes:

DESENVOLVIMENTO:

Em 1960, o Exército dos Estados Unidos emitiu a especificação técnica nº153 para um helicóptero de observação leve (LOH) capaz de cumprir várias funções: transporte de pessoal, escolta, missões de ataque, evacuação de feridos e observação. Doze empresas participaram da concorrência e a Divisão de Aeronaves Hughes apresentou o modelo 369.


Dois projetos (apresentados pela Fairchild-Hiller e Bell) foram selecionados como finalistas pelo conselho de licitações da marinha do exército, mas o Exército dos EUA também incluiu mais tarde o helicóptero da Hughes.


Originalmente designado como a YHO-6A (de acordo com o sistema de designação do Exército), a aeronave foi redesignada como a YOH-6A em 1962, quando o Departamento de Defesa criou um sistema de designação conjunta para todas as aeronaves. O primeiro protótipo do modelo 369 voou em 27 de Fevereiro de 1963.


Cinco protótipos foram construídos e equipados com a turbina Allison T63-A-5A de 252 hp (188 kW). Foram entregues ao Exército dos EUA em Fort Rucker, Alabama para competir contra os outros 10 aviões protótipo apresentado pela Bell e Fairchild-Hiller. Durante o decorrer da competição, a apresentação da Bell, o YOH-4, foi eliminado por apresentar fraca potência (ele usou a T63-A-5 de 250 hp (190 kW)).


A licitação para o contrato LOH veio a Fairchild-Hiller e Hughes. A Hughes venceu a licitação e o Exército adjudicou um contrato para a produção em maio de 1965, com um pedido inicial de 714 unidades posteriormente aumentado para 1300, com opção de possíveis outos 114. A Hughes fixou o preço em 19.700 dólares por célula (fora o motor), enquanto o preço do Hiller foi 27.000 dólares por célula (fora o motor).


Nota-se que o desenho do Hiller tinha um sistema de controle impulsionado, enquanto a concepção da Hughes não. Isso explicaria parte da diferença de preço.

Em 1968, a Hughes apresentou uma proposta para construção de mais 2.700 fuselagens. Stanley Hiller queixou-se ao Exército dos EUA que a Hughes tinha usado procedimentos antiéticos e, portanto, o Exército abriu nova licitação para o contrato por todas as partes. A Hiller não participou da nova licitação, mas a Bell sim com a seu redesenhado modelo 206.


Depois de um competitivo fly-off, o Exército pediu propostas seladas. O lance da Hughes foi de $ 56.550 por célula, enquanto o lance da Bell foi de 54.200 dólares. Alegadamente, a Hughes havia consultado no último momento seu confidente Jack real, que recomendou uma oferta de 53.550 dólares. Entretanto, a Hughes, sem dizer-lhe nada, acrescentou US$ 3.000 para a licitação e por isso perdeu o contrato.

HISTÓRIA OPERACIONAL:

Logo após o início da produção, o OH-6 começou a demonstrar o tipo de impacto que teria sobre o mundo dos helicópteros. O OH-6 bateu 23 recordes mundiais de helicópteros em 1966 nos quesitos de velocidade, resistência e tempo de subida. Em 23 de março de 1966, Jack Schwiebold bateu o recorde de distância em circuito fechado em um YOH-6A na Base Edwards Air Force, Califórnia. Ele voou sem destino por 1.739,96 milhas (2.800,20 km). Posteriormente, em 7 de abril de 1966, Robert Ferry estabeleceu o recorde mundial de longa distância para helicópteros. Ele voou de Culver City, Califórnia para Ormond Beach, Flórida, cobrindo um total de 1.923,08 nm (2.213,04 km, 3.561,55 km).


Em 1964 o Departamento de Defesa dos EUA emitiu um memorando ordenando que todas as aeronaves do Exército dos EUA de asa fixa fossem transferidas para a Força Aérea dos EUA, enquanto que ao Exército dos EUA foi transferido para aeronaves de asas rotativas. Os aviões do Exército dos EUA de asa fixa como o O-Bird Dog, que foi utilizado para observação de artilharia e reconhecimento, seria substituído pelo helicóptero OH-6A. A aeronave entrou em serviço em 1966, chegando na Guerra do Vietnã um pouco depois. Os pilotos apelidaram o novo helicóptero de "Loach", uma palavra criada pela pronúncia da sigla do programa que gerou a aeronave: LOH "Light Observation Helicopter" (Helicóptero Leve de Observação).


A Hughes Helicópteros também desenvolveu o modelo 369 na versão civil: o Hughes Model 500, que se tornou a série MD 500 após a McDonnell Douglas adquirir a Hughes Helicopters em janeiro de 1984.


"THE QUET ONE":

Um par de OH-6A fortemente modificados foram utilizados pela CIA via Air America para uma missão secreta de escutas telefônicas em 1972.


A aeronave, batizada pela Hughes de "500P" ("Penetrador"), começou como um projeto de codinome "Mainstreet", em 1968. O Desenvolvimento incluiu testes e voos de treino em Culver City, Califórnia e na "Área 51" em 1971. A fim de reduzir sua assinatura acústica, os helicópteros (N351X e N352X) receberam rotor de cauda estilo "tesoura" de quatro lâminas(conceito mais tarde incorporado no Hughes AH-64 Apache), um rotor principal de 5 pás com pontas remodeladas, um sistema de escape modificado e vários detalhes para aumentar o desempenho.


Implantado em uma base secreta no sul do Laos (PS-44) em junho de 1972, um dos helicópteros foi fortemente danificada durante uma missão de treinamento no final do verão. O helicóptero restante implantou um grampo próximo a Vinh, Vietnã, na noite de 5 para 6 de dezembro de 1972, foi o que forneceu aos Estados Unidos informações úteis durante a campanha de conversações de paz de Paris "Linebacker II". Pouco tempo depois as aeronaves foram devolvidas para os EUA, desmontadas e silenciosamente encontraram novos lares como "500s" agora-padrão.

A TASK FORCE 160:

Os arquitetos da força-tarefa identificaram a necessidade de um pequeno helicóptero para pousar em locais de condições restritivas e que também fossem facilmente transportados em aeronaves de transporte da Força Aérea. Eles escolheram o helicóptero de observação OH-6A para preencher esse papel. Este tornou-se conhecido como "Little Bird" em comparação com as outras aeronaves da força-tarefa: o MH-60 e MH-47. Como parte separada do projeto, OH-6A armados estavam sendo desenvolvidos em Fort Rucker, Alabama.


Os pilotos selecionados para voar os helicópteros OH-6A vieram do 229º Batalhão de helicópteros de Ataque e foram enviados para a Army Aviation Support Facility (Guarda Nacional do Exército do Mississipi - (AASF)) em Gulfport, Mississippi, para duas semanas de treinamento e qualificação na aeronave. Quando o treinamento foi concluído, os C-141 transportariam as aeronaves e tripulações para Fort Huachuca, Arizona para duas semanas de treinamento missionário. A missão de treinamento consistiu no descarregamento para aviões de transporte C-130 que, em seguida, transportou-os a áreas de preparo sobre rotas, por 1.000 milhas náuticas (1.900 km). A aeronave armada OH-6 de Fort Rucker juntou-se ao programa de treinamento, no outono de 1980.

A Operação "Honey Badger" foi cancelada depois que os reféns foram libertados em 20 de janeiro de 1981 e por um curto período de tempo parecia que a força-tarefa seria desfeita, transferindo o pessoal às suas unidades anteriores. Mas o Exército decidiu que seria mais prudente manter a unidade a fim de estarem preparados para eventualidades futuras.

A força-tarefa, que tinha sido designado como Task Force 158, logo formou o Batalhão de Aviação 160. Os helicópteros OH-6A utilizados para o transporte de pessoal tornaram-se o MH-6 da Companhia de Assalto Leve e o armado OH-6A tornou-se o AH-6 da Companhia de Ataque Leve.


Em 01 de Outubro de 1986, para ajudar a atender às crescentes demandas de apoio, o Batalhão de Aviação 1-245 da Guarda Nacional Oklahoma, que teve 25 AH-6 e 23 helicópteros UH-1, foi colocado sob o controle operacional da 160. A 1-245 AVN BN alistados foram enviados para Army Aviation Support Facility Guarda Nacional do Exército do Mississipi (AASF) em Gulfport, Mississippi, para duas semanas de treinamento de qualificação na aeronave. A missão na semana seguinte foi a to Yuma para treinamento de operação noturna. Os AH / MH foram levantados por um C-5, dois C-130, juntamente com todos os kits de apoio ao Batalhão. Crews treinou lado a lado com a 160 em todos os conceitos operacionais. A infantaria 1-245 foi modificada com óculos de visão noturna e trabalhou para desenvolver as habilidades necessárias para a rápida implantação com helicópteros pequenos e seus C-130.

OH-6 JAPONÊS:

No Japão, 387 OH-6 foram produzidos sob licença pela Kawasaki Heavy Industries e usado pelo solo japonês Self-Defense Force (JGSDF), Japanese Maritime Self-Defense Force (JMSDF), a Guarda Costeira japonesa , e os operadores civis.


A partir de 2001, o OH-6s da JGSDF estão em vias de ser substituído por um novo helicóptero de observação da Kawasaki: o Kawasaki OH-1.


AS VERSõES "NOTAR":

O MD 520N foi o pioneiro no conceito do sistema anti-torque "NOTAR" onde o tradicional rotor de cauda é omitido ao usar ar comprimido para compensar o torque. As versões também incluem o modelo "Defender 530", uma variante com aerodinâmica refinada e mais potência, e o Model AH-6 versão 530 para as Forças Especiais dos EUA.


A versão NOTAR dos modelos heavy-lift 530 tornaram-se o MD 530N. Nas variantes incluem também o helicóptero de ataque AH-6J e o modelo de inserção e extração de transporte MH-6J, com base no MD 530F.


Estes contam com um motor mais potente e melhores aviônicos, incluindo um sistema integrado de posicionamento global (DGPS) de navegação inercial e prospectivas em infravermelho.

Em 19 de janeiro de 1999 a MD Helicopters Holding Inc., uma subsidiária indireta da empresa holandesa RDM Holding Inc., adquiriu pela Boeing as linhas de produtos de helicópteros leves MD 500, MD 600N e as séries MD Explorer, incluindo o MD 500E e MD 530F com rotores de cauda convencional...


...bem como a série MD Explorer MD 520N (helicópteros monomotores com o sistema NOTAR) e MD 600N (helicópteros de oito lugares).


Nessa época, mais de 4.700 helicópteros da série 500 foram produzidos.


Por fim, a Patriarch Partners, LLC, um fundo de investimento com sede em Nova York e Charlotte, NC, adquiriu em 2005 a MD Helicopters da RDM.

ESPECIFICAÇõES:

  • Modelo: Hughes OH-6 Cayuse
  • Classificação: Helicóptero Militar de Observação / helicóptero comercial
  • Papel: Helicóptero Leve de Observação
  • Unidades produzidas: 1420 (OH-6A)
  • Fabricante: Hughes Tool Co. - Divisão de Aeronaves
  • Primeiro vôo: 27 de fevereiro de 1963
  • Introdução: 1966
  • Usuário principal: Exército dos Estados Unidos
  • Turbina: Um Allison T63-A-5A /317-eixo cv (236 kW)
  • Velocidade máxima: 147 mph
  • Velocidade máxima: 150 mph ao nível do mar
  • Taxa de subida inicial: 1.840 pés por minuto
  • Teto de serviço: 15.800 pés
  • Gama: 413 milhas
  • Peso vazio: 1.156
  • Peso máximo de decolagem: 2.700
  • Diâmetro do rotor: 26 pés, 4 polegadas
  • Comprimento: 23 pés
  • Comprimento com rotores girando: 30 pés, 9,5 polegadas
  • Altura: 8 pés, 1,5 polegadas
  • Área do disco do rotor principal: 544,63 pés quadrados
  • Tripulação:
    • OH6-A = 2 tripulantes + 2 a 4 passageiros ou quatro soldados armados;
    • 500 mg = 7 soldados armados ou duas macas;
    • 600N = 7 a 8 passageiros.
  • Custo unitário: EUA 19.860 dólares (1966).

ARMAMENTO:

  • Metralhadoras: Duas M60 ou uma metralhadora M134 Minigun de 7,62 milímetros ou duas .50 MG germinadas.
  • Foguetes: 70 foguetes em dois pods (14 x 2,75 Hydra).
  • Mísseis: Quatro mísseis TOW em dois pods; Quatro mísseis Hellfire em dois pods.

VARIANTES:

  • YOH-6A : Versão protótipo.
  • OH-6A : Helicóptero de observação leve, alimentado por um motor turboshaft Allison T63-A5A de 263 kW (317 shp).
  • OH-6A NOTAR : Versão experimental.
  • OH-6B : Versão Remotorizada para um Allison T63-A-720de um 298 kW (420 shp).
  • OH-6C : Versão proposta, alimentado por uma Allison 25-C20 de 313,32 kW (400 shp) e equipado com cinco pás no rotor principal.
  • OH-6J : Helicóptero de observação leve para o JGSDF. Construído pela Kawasaki Heavy Industries sob licença no Japão. Baseado no OH-6A Cayuse.
  • OH-6D : Helicóptero de observação leve para o JGSDF. Construído pela Kawasaki Heavy Industries sob licença no Japão. Baseado no modelo Hughes 500D.
  • EH-6B : Versão posto de comando de Operações Especiais e guerra eletrônica.
  • MH-6B : Versão de Operações Especiais.
  • TH-6B : Um derivado do MD-369H para a Marinha, seis McDonnell Douglas TH-6B Conversão-in-Lieu-de-Procurement. Tais aeronaves são utilizadas como parte integrante do programa de treinamento de pilotos de teste States Naval Teste da Escola United Piloto. A instrumentação e aviônicos da aeronave e associados são usados para a instrução em voo e demonstração de qualidades de vôo, desempenho e técnicas em missões de vôo.
  • AH-6C : Modificado OH-6A para transportar armas e operar como um avião de ataque leve para o 160 SOAR (A).
  • MH-6C : Outra Versão de Operações Especiais.

CONTINUA NA PRÓXIMA ETAPA...

Texto e Fotos:

Eventos | Fórum | Eu Quero! | Mercado de Pulgas | Galeria
Variedades | Como Construir | Dicas | Ferramentas
Lojas no Brasil | Administrativo | Livros | Links

Melhor visualizado em resolução 1366 x 768