Submarinos do Brasil

  Porta-Aviões

 <<Voltar
Porta-Aviões

HISTÓRIA

A primeira decolagem de avião a partir de um navio foi efetuada pelo americano Eugene B. Ely em 14.11.10, a partir de uma plataforma montada na proa do USS Birmigham, utilizando um biplano Curtiss. No dia 18.01.11, Ely, pousou e decolou numa plataforma provisória na popa do cruzador USS Pennsylvania. Nos dois casos os navios estavam ancorados.


O Curtiss D de Ely no USS BIRMINGHAM em 14.11.1910.


Decolagem de Eugene Ely em 18.01.1911, do USS PENNSYLVANIA.

Na Inglaterra, o Tenente da Marinha C. R. Sanson, num Short S.38, decolou de uma plataforma montada sobre os canhões de proa do couraçado HMS Africa, também ancorado. Em 09.05.12, Samson decolou o S.38 do HMS Hibernia, que navegava a 15 nós.

Na França, Réné Caudron decolou com um biplano Caudron de uma plataforma construída no tender de hidroaviões Foudre em 08.05.14. Outros tenders de hidroaviões foram usados pela França a partir de 1916 para combater a Turquia, usando aeronaves Nieuport NG biplaces.

Com o advento da guerra em 1914 e comprovada a utilidade do aeroplano para as operações da frota, vários países adaptaram navios para transportar hidroaviões que decolavam e pousavam no mar, sendo içados a bordo para reabastecimento e deslocamentos para as áreas de operações, eram os tender de hidroaviões. Contudo, sentia-se a necessidade de um sistema que permitisse o avião decolar e pousar sem que houvesse a parada do navio. Também as plataformas adaptadas nos navios de combate eram indesejáveis, pois impediam o uso dos canhões pesados. Assim, diversos navios de batalha foram adaptados, além de outros receberam catapultas giratórias e outros usarem aviões rebocados em pequenas plataformas flutuantes.

Paralelamente a esses navios que foram ainda usados por algum tempo e os tenders de hidroaviões, começava o desenvolvimento de uma classe de navios especializados no transporte, lançamento e recuperação de aviões e que pudesse acompanhar a frota em operações. Na Segunda Guerra o porta-aviões com convés desimpedido já estava desenvolvido e passou de auxiliar a principal navio na frota em combate, terminando o reinado do couraçado. Diversas batalhas importantes foram decididas somente com os aviões transportados pelas frotas, sem que os navios de linha tivessem se encontrado.

ALEMANHA

TENDERS DE HIDROAVIõES

No início da Primeira Guerra, a Marinha alemã converteu diversos barcos como tender de hidroaviões para uso no mar Báltico. A maioria não possuía hangar e somente içava ou baixava os hidroaviões ao mar. O GLINDWR era um mercante de 6.000 toneladas convertido com um convés na popa. Fazia 10 nós e transportava 6 aeronaves. O HUGO STINNES foi convertido de um pequeno mercante de 2.700 toneladas e transportava 3 hidros. O ANSWALDS deslocava 13.200 toneladas e operava 6 hidros. O SANTA ELENA deslocava 13.900 toneladas e operava 6 hidros. O OSWALD deslocava 7.600 toneladas e levava 6 hidros. O STUTTGART foi convertido de um cruzador, dotado de hangar entre as chaminés e o mastro traseiro e manteve o armamento de proa. Deslocava 3.800 toneladas, fazia 23 nós e operava 3 hidros.


GLINDWR


GLINDWR


ANSWALDS


SANTA ELENA


SANTA ELENA


OSWALD

O STUTTGART foi convertido de um cruzador, dotado de hangar entre as chaminés e o mastro traseiro e manteve o armamento de proa. Deslocava 3.800 toneladas, fazia 23 nós e operava 3 hidros.


STUTTGART

Na década de 30 e 40, diversos barcos foram construídos ou convertidos para apoiar aviões civis que ligavam a Europa com as Américas. Possuíam um guindaste na proa e uma catapulta que corria ao longo do barco para lançar a aeronave. Operavam no máximo dois hidroaviões. Foram requisitados para serviço da Luftwaffe. O WESTFALEN deslocava 5.365 toneladas e operou no Báltico e Noruega, o SCHWABENLAND deslocava 8.180 toneladas e operou no litoral da França e depois na Noruega. O OSTMARK era um pequeno barco de 1.280 toneladas que operou na Noruega e França. O FRIESENLAND deslocava 5.430 toneladas e operou na França e Noruega.


WESTFALEN


O WESTFALEN com um Dornier Wal na catapulta.


O Taifun sendo içado ao WESTFALEN. Operavam como correio entre a África e o Brasil antes da guerra.


Operando a catapulta do WESTFALEN.


Decolagem do Taifun.


O Taifun voando sobre o Atlântico, aproveitando o efeito solo.


O WESTFALEN em operações de guerra, lançando um Blohm und Voss Bv 138.


SCHWABENLAND


O SCHWABENLAND com um Blohm und Voss Ha 139 na catapulta.


OSTMARK


OSTMARK içando um hidroavião Dornier Do 18 com matrícula civil.


OSTMARK lança um Dornier Do 18 de sua catapulta. Note os mastros abaixados para os lados.


FRIESENLAND


FRIESENLAND


Blohm und Voss Ha 139 D-AJEY sendo içado a bordo do FRIESENLAND.

Construídos especialmente para a Luftwaffe foram os tender SPERBER de 1.080 toneladas, os dois classe BUSSARD de 2.040 toneladas, os quatro classe KRISCHAN de 196, 375, 880 e 980 toneladas respectivamente, capazes de operar 2 hidroaviões; os quatro barcos classe KARL MEYER de 1.157 toneladas para 3 hidroaviões, os 3 classe HANS ALBRECHT WEDEL de 1.215 toneladas para 3 hidroaviões e o pequeno GREIF de 890 toneladas.


KRISCHAN I


HANS ROLSHOVEN da classe Krischan.


GREIF


O BUSSARD recuperando um Fw 190 do mar. A bordo um Bv 138.

Relação dos tenders de hidroaviões alemães:

NavioAnoObservações
GLINDWR1914Ex mercante CRAIGRONALD. Avariado por minas em 04.06.15
HUGO STINNES1914Ex mercante ADELINE. 1918
ANSWALDS1915Ex mercante ANSWALDS. 1918
SANTA ELENA1915Ex mercante SANTA ELENA. 1918.
OSWALD1918Ex mercante OSWESTRY. 1918
STUTTGART1918Ex cruzador classe Stettin. 1918
KRISCHAN1934Classe Krischam. Afundado pela RAF em 07.01.44 em Kiel
GUNTHER PLUSCHOW1935Classe Krischam. Ex Krischan II. 1945
BERNHARD VON TSCHIRSCHKY1935Classe Krischam. Ex Krischan III. Afundado pela RAF em 07.01.44 em Kiel
GREIF1937Em 1945 para a França como MARCEL LE BIHAN
HANS ROLSHOVEN1938Classe Krischam. Afundado por minas em 10.44
SPERBER1938Retirado em 1945
SCHWABENLAND1939Ex mercante com catapulta SCHWABENFELS. Torpedeado pelo submarino HMS TERRAPIN em 24.03.44
OSTMARK1939Torpedeado pelo HMS TUNA em 14.09.40
FRIESENLAND1939Retirado em 1945
KARK MEYER1940Classe Karl Meyer. Afundado pela RAF em 07.01.44 em Kiel
WESTFALEN1941Ex mercante com catapulta WESTFALEN. Afundado por minas em 07.09.44
MAX STINSKY1941Classe Karl Meyer. Internado na Espanha em 1944. Para a França como PAUL GOFFENY em 1945
IMMELMANN1941Classe Karl Meyer. Internado na Espanha em 1944. Para a França como ROBERT GIRAUD em 1945
BOELCKE1942Classe Karl Meyer. Afundado por aviões russos em 08.04.45
HANS ALBRECHT WEDEL1942Classe Hans Albrecht Wedel. Afundado por aviões russos em 08.04.45
RICHTHOFEN1942Classe Hans Albrecht Wedel. Ex WERNER MOLDERS. 1944
HERMANN KOHL1942Classe Hans Albrecht Wedel. Não completado
BUSSARD1942Classe Bussard. Retirado em 1945
FALKE1942Classe Bussard. Retirado em 1945

PORTA-AVIõES DE ESQUADRA

Em 1938, o GRAF ZEPPELIN foi projetado para deslocar 19.250 toneladas ou 29.000 toneladas carregado, fazer 35 nós e operar 40 aviões, sendo 28 Ju 87C e 12 Me 109T. O Messerschmitt Me 155 deveria substituir o Me 109T mas ficou só no projeto. Era pesadamente blindado e possuía armamento pesado. Foi lançado ao mar em 08.12.38, mas sua construção foi suspensa em 1940, retomada em maio de 1942 e finalmente abandonada em fevereiro de 43. O casco já com o convés de vôo foi afundado em Stettin, recuperado pelos russos em 1946, utilizado como navio-alvo e posteriormente desmanchado. O PETER STRASSER tinha desenho semelhante, foi desmanchado em 1940 quando ainda no início da construção.


Lançamento do GRAF ZEPPELIN em 08.12.38.


Lançamento do GRAF ZEPPELIN.


O GRAF ZEPPELIN ainda em construção.



Relação dos porta-aviões de esquadra alemães:


Ju 87C Stuka com asas dobráveis para operar em porta-aviões.


Avia Bk.534 avaliado para uso no porta-aviões (Veja o gancho de parada)

NavioAnoObservações
GRAF ZEPPELIN1938Não completado
PETER STRASSER-Não completado. Desmanchado

PORTA-AVIõES AUXILIARES DE ESQUADRA

A conversão do cruzador SEYDLITZ de 17.140 toneladas para transportar 18 aviões chegou até o convés de vôo em 06.43, quando foi paralisada. A conversão do mercante EUROPA de 44.000 toneladas foi paralisada em 11.42, a do POTSDAM de 17.520 toneladas em 02.43, a do cruzador leve francês DE GRASSE de 11.400 toneladas foi paralisada em 02.43 e a do mercante GNEISENAU de 18.160 toneladas foi cancelada em 11.42, antes de ser iniciada.

Relação dos porta-aviões auxiliares de esquadra alemães:

NavioAnoObservações
Projeto I1942Ex mercante EUROPA. Não completado
Projeto II1942Ex cruzador francês DE GRASSE. Não completado
Projeto WESER1942Conversão do cruzador SEYDLITZ. Não completado. Desmanchado
Projeto JADE1942Ex mercante GNEISENAU. Cancelado
Projeto ELBE1943Ex mercante POTSDAM. Não completado

ARGENTINA

PORTA-AVIõES DE ESQUADRA

Os porta-aviões ingleses leves de esquadra da classe Colossus foram adaptados com convés angular e classificados como porta-aviões de esquadra na Marinha Argentina. O INDEPENDENCIA utilizou caças Chance Vought F4U-5 e -5N Corsair. Depois jatos Grumman F5U Panther e Cougar. O VEINTICINCO DE MAYO equipou com caças-bombardeiros a jato Douglas A-4 Skyhawk e Dassault Super Etendard, anti-submarinos Grumman S-2 Tracker e helicópteros Sikorsky SH-3 Sea King anti-submarinos e Aerospatiale Alouette III.


INDEPENDENCIA


Caça embarcado Vought F4U-5 Corsair


F4U-5 Corsair


Caça embarcado Grumman F9F-2 Panther


Biplace de treinamento Grumman TF-9J Cougar


O porta-aviões argentino ARA VEINTICINCO DE MAYO.


Caça-bombardeio Douglas A-4Q Skyhawk.


Caça-bombardeio Douglas A-4Q Skyhawk.


O caça-bombardeio Dassault Super Etendard.


Dassault Super Etendard.


Avião embarcado anti-submarino Grumman S-2A Tracker.

IndicativoNavioObservações
V1INDEPENDENCIA1959. Ex Inglaterra WARRIOR e Ex Canadá WARRIOR. Retirado em 1970
V2VEINTICINCO DE MAYO1969. Ex Inglaterra VENERABLE e Ex Holanda KAREL DOORMAN. Retirado em 1997

AUSTRÁLIA

TENDER DE HIDROAVIõES

Em 1929, o tender para 9 hidroaviões HMAS ALBATROSS de 6.350 toneladas foi construído em 1929, na Austrália como navio auxiliar da defesa da costa. Foi entregue à Inglaterra em 1938 como pagamento inicial do novo cruzador Hobart.



PORTA-AVIõES LEVES DE ESQUADRA

O TERRIBLE, porta-aviões leve de esquadra inglês da classe Magestic foi recebido em 1949 e batizado HMAS SYDNEY. De outubro 1951 a fevereiro de 1952 o SYDNEY, com aviões Hawker Sea Fury e Fairey Firefly, efetuou seu primeiro turno de combate na guerra da Coréia, onde efetuou 2.366 sortidas de combate, com a perda de 7 Sea Fury e 3 Firefly. Um segundo turno foi efetuado entre 11.53 e 05.54, com os mesmos tipos de aviões. Foi colocado na reserva em 1955 e reativado em 1963 para servir de transporte às tropas do Exército australiano engajadas no Vietnã.

Em 1952 o HMS VENGEANCE, inglês, da classe Colossus foi emprestado para servir de treinamento aos pilotos navais, até a chegada do HMAS MELBOURNE, inglês, da classe Majestic, em 1955. O VENGEANCE trouxe os novos aviões a serem operados pela marinha australiana, o caça a jato DeHavilland Sea Venon Mk.53, o turbo-hélice caça-submarinos Fairey Gannet AS Mk.1 e o helicóptero Bristol Sycamore H.R. 50.

A terceira geração de aviões utilizada no MELBOURNE, já recebido com convés angular, foram os caças a jato Douglas A-4 Skyhawk, o bimotor anti-submarino Grumman S-2 Tracker e os helicópteros anti-submarinos Westland Wessex e depois Sikorsky Sea King.

Em 1980 a Austrália contratou a compra do HMS INVINCIBLE para uso como porta-helicópteros e navio desembarque de comandos com o nome de HMAS AUSTRALIA. Os planos das modificações foram elaborados e o estaleiro contratado para as reformas, que não chegaram a começar devido ao episódio da guerra das Malvinas. O HMAS MELBOURNE foi retirado de serviço em junho de 1982 e nesse mesmo mês a Inglaterra cancelou a venda do INVINCIBLE. Desde então a Marinha da Austrália prescinde de porta-aviões.



HMAS SYDNEY.

IndicativoNavioObservações
R17SYDNEY1949. Ex Inglaterra, TERRIBLE. Usado na Coréia. Retirado em 1973
 VENGEANCE1952. Ex Inglaterra, VENGEANCE. Emprestado entre 1952 a 1955. Foi para o Brasil.
R21MELBOURNE1955. Ex Inglaterra, MAJESTIC. Retirado em 1982
 AUSTRALIA1980. Ex Inglaterra, INVINCIBLE. Não recebido devido á guerra das Malvinas.

BRASIL

NAVIO AERÓDROMO LEVE

O Navio Aeródromo Leve MINAS GERAIS, era o porto aviões leve de esquadra inglês HMS VENGEANCE da classe Colossus. Desloca 19.900 toneladas a plena carga e pode transportar 35 aviões com uma tripulação de 1.300 homens. Foi adquirido em 1956 e sofreu extensas reformas em Roterdan, recebendo novos elevadores, uma nova superestrutura, nova eletrônica e a adaptação de um convés angular. Operacional em 1960 operou como porta-aviões anti-submarino com aeronaves Grumman S-2 Tracker e helicópteros Sikorsky HSS-1 depois SH-3 Sea King. Foi reformado em 1976/80 recebendo nova ilha. Novamente reformado em 1991/93, passou a operar unicamente helicópteros. Em 1994 foi equipado com mísseis Mistral em lugar das armas antiaéreas.

O SÃO PAULO é o antigo FOCH da Marinha Francesa, recebido pela Marinha do Brasil na França, Chegou ao Rio de Janeiro em 17.02.2001 e deverá operar aeronaves A-4 K Skyhawk além de um complemento de helicópteros anti-submarinos.



O A11 MINAS GERAIS.


Hangar de aviões do MINAS GERAIS.



A chegada do SÃO PAULO, ao fundo, sendo escoltado pelo MINAS GERAIS em primeiro plano.

IndicativoNavioObservações
A11MINAS GERAISEntrou em serviço em 1960. Ex Inglaterra, VENGEANCE. Retirado em 2000.
A12SÃO PAULORecebido em 2001. Ex-França, FOCH. Em serviço

CANADÁ

PORTA-AVIõES DE ESQUADRA

Durante a Segunda Guerra Mundial, os porta-aviões de escolta ingleses HMS NABOB e HMS PUNCHER foram equipados com tripulações da Marinha do Canadá, contudo, o primeiro navio próprio foi o porta aviões leve HMCS WARRIOR, da classe Colossus, adquirido da Inglaterra em 1946, equipado com aviões Supermarine Seafire Mk XV e Fairey Firefly Mk.1. O WARRIOR não fora preparado para o clima ártico e foi devolvido à Inglaterra em 1948. No mesmo ano o Canadá compra na Inglaterra o HMCS MAGNIFICENT, da classe Majestic, equipado com aviões Hawker Sea Fury, Fairey Firefly Mk. V, depois Grumman Avenger e helicópteros Sikorsky S-55. Antes de ser desativado, o barco participou como transporte na Crise de Suez em 1956.

O HMCS BONAVENTURE era o inglês POWERFULL, da classe Majestic e foi equipado com convés angular para operar aviões anti-submarinos Grumman Tracker, caças a jato McDonnell F2H-3 Banshee e os helicópteros S-55. Foi o último porta-aviões canadense.


HMCS WARRIOR


HMCS MAGNIFICENT


HMCS BONAVENTURE


HMCS BONAVENTURE

IndicativoNavioObservações
 WARRIOR1946. Ex Inglaterra WARRIOR. Para a Inglaterra em 1948.
21MAGNIFICENT1948. Ex Inglaterra, MAGNIFICENT. Retirado em 1957
22 BONAVENTURE1957. Ex Inglaterra, POWERFULL. Retirado em 1970

Texto:

Fotos:

(Alemanha)

  • Seaplane tender Glyndwr - b/p German Naval Air Service, foto 21
  • Seaplane tender Santa Helena - b/p German Naval Air Service, foto 56
  • 1938 - Graf Zeppelin - b/p - Messerschmitt "o nine" pg. 58 e 94
  • Stuka embarcado - b/p - Messerschmitt "o nine" pg. 56
  • Arado 197 embarcado - b/p - Messerschmitt "o nine", pg. 57
  • Me 109 embarcado - b/p - Messerschmitt "o nine", pg. 58
  • Stuka carrier borne - Air Inter 161, pg. 197
  • Avia B534 embarcado - Arquivo 209
  • Arado Ar 197 - b/p - Air Inter 8, pg. 39. German Airc. of Sec. WW, pg. 22
  • Fieseler Fi 167 - German Aircraft of the Second WW, pg. 148
  • (Austrália)

  • Air Fan 561, pg. 11
  • Albatross - Air Inter 87, pg 101

    (Canadá)

  • Air Fan 564, pg. 16, Air Fan 565, pg. 17
  • Sea Fury no Magnificent - Air Inter 105, pg. 98

    GLOSSÁRIO

  • Adriático - OperaçÂões contra a Iugoslávia em 1995
  • Bismark - Caça empreendida pela Marinha Britânica ao couraçado alemão no Atlântico em 1940
  • CV - Prefixo dos porta-aviões de esquadra americanos. Alguns mudados para:
  • CVA- porta-aviões de ataque,
  • CVB - porta-aviões de batalha,
  • CVS - anti-submarinos,
  • CVT - transporte de aviões,
  • e AVT- para treinamento.
  • CVAN - Prefixo americano para os porta-aviões de esquadra nucleares.
  • CVE - Prefixo americano dos porta-aviões de escolta. Antes BAVG.
  • CVL - Prefixo americano dos porta-aviões leves de esquadra.
  • Coréia - Guerra das NaçÂões Unidas contra a Coréia do Norte em 1950-53
  • Falklands/ Malvinas - LibertaçÂão pela Inglaterra das ilhas tomadas pela Argentina em 1982
  • Golfo - LibertaçÂão pelas NaçÂões Unidas do Kuwait invadido pelo Iraque, em 1991
  • HMS - Her/His Magesty Ship - Prefixo dos navios de guerra britânicos
  • HMAS - Her/His Magesty Australia Ship - Prefixo dos navios de guerra australianos
  • HMCS - Her/His Magesty Canadian Ship - Prefixo dos navios de guerra canadenses
  • Indochina - Guerra da França contra os nacionalistas do Viet-Ming, de 1947 a 1954
  • Iwojima - Invasão pelos americanos da ilha japonesa de Iwo Jima em 1945
  • Java - LibertaçÂão pelos aliados da ilha ocupada pelos japoneses, em 1945
  • Leyte - Invasão americana em Leyte, Filipinas, ocupadas pelos japoneses - 17 a 25.10.44
  • Marianas - Batalha aeronaval japoneses x americanos em 1944
  • Mar de Coral - Batalha aeronaval japoneses x americanos em 7-8.05.42
  • Matapan - Batalha naval ingleses x italianos no Mediterrâneo em 1940
  • Mers-El-Kébir - Ataque inglês à frota francesa no porto africano em 03.07.40
  • Midway - Batalha aeronaval japoneses x americanos em 4-6.06.42
  • Noruega - Invasão e retirada anglo-francesa da Noruega frente ao avanço alemão em 1940
  • Okinawa - Invasão aliada da ilha japonesas de 14.03 a 30.06.45.
  • Operaçâão Torch - Invasão aliada do norte da África de 8-12.10.42.
  • Recife - Navios que serviram na 4a Frota americana, baseada em Recife, Brasil em 1942-1945
  • Salomões - Batalha aeronaval japoneses x americanos em 1942
  • Santa Cruz - Batalha aeronaval japoneses x americanos em 1942
  • Suez - Guerra anglo-francesa-israelita contra o Egito em 1956
  • Sul da França - Invasão aliada do sul da França ocupada em 15.08.1944
  • Sumatra - Ataques ingleses às refinarias de petróleo ocupadas pelos japoneses em 20.12.44
  • Taranto - Ataque de porta-aviões ingleses à base naval italiana em Taranto, sul da Itália em 1940
  • Tirpitz - Ataques ingleses ao couraçado alemão em portos da Noruega em 1944.
  • Tóquio - Reide americano com bombardeiros B-25 baseados em porta-aviões em 1942
  • Vietnã - Guerra de potências aliadas contra o Vietnã do Norte de 1964 a 1973
  • BIBLIOGRAFIA:

  • Air Fan 561, 564, 565, 592 e 630
  • Air International 19, 79, 236 e 265
  • An Illustrated History of Seaplanes and Flying Boats - Maurice Allward - Barnes & Noble, New York, 1981
  • Curtiss Aircraft 1907-1947 - Peter M. Bowers - Putnam, Londres
  • German Cruisers of World War Two - M. J. Whitley - Naval Institute Press, 1987
  • Messerschmitt "O-nine" Gallery - Thomas H. Hitchcock - Monogram Aviation Pub., USA, 1973
  • Ships of the World Navies - Christopher Chant - Brian Trodd Pub, London, 1990
  • The Illustrated History of Seaplanes & Flying Boats - Louis S Casey & John Batchelor - Hamlyn - New York
  • The World's Great Aircraft Carriers - Antony Preston - Chancellor Press, London
  • Eventos | Fórum | Eu Quero! | Mercado de Pulgas | Galeria
    Variedades | Como Construir | Dicas | Ferramentas
    Lojas no Brasil | Administrativo | Livros | Links

    Melhor visualizado em resolução 1366 x 768
    Eventos Agendados
    Outubro
    S T Q Q S S D
    1 2 3 4 5 6 7
    8 9 10 11 121314
    15 16 17 18 19 20 21
    22 23 24 25 26 27 28
    29 30 31        

    Novembro
    S T Q Q S S D
          1 2 3 4
    5 6 7 8 9 10 11
    12 13 14 15 161718
    19 20 21 22 23 24 25
    26 27 28 29 30