Forração

  Rotores

  Em Andamento...

  Walk-Arounds

 <<Voltar
Revell Sikorsky H19 Chicasaw 1/48

Já é hora de decidir a versão para pintura. Como o modelo original do kit retratava uma versão da U.S.Navy decidir seguir o sugerido.

Pesquisei na WEB e achei as versões que me interessaram: vão das pioneiras da Guerra da Coréia até as versões de busca e salvamento usadas nos anos 60 pela marinha americana. Com poucas exceções, essas versões recebem a cor "SEA BLUE" com marcações em branco "Insígnia White". O motivo maior de optar por uma cor escura foi que decidi testar uma técnica de pintura de marcações com máscara caseira para decais.

Tenho alguns decais brancos 1:48 sobrando e decidi fazer o complemento na tinta mesmo... Mas vamos às versões:


Típica pintura de época de guerra (Coréia) usando o Sea Blue...


Pioneiros da Guerra da Coréia...


Versões da marinha com pintura clara (anos 60)...


Pintura com destaques em cores vivas (laranja) para melhor visualização (anos 60)...


Típica pintura usando o Sea Blue combinado com cores vivas...

Primeiro mascarei todas as partes transparentes com "Durex" colorido. Depois, usando a tinta acrílica Tamiya XF-17 "Sea Blue", apliquei uma camada sobre todo o modelo...


Detalhes de aplicação do Sea Blue...


Impacto visual da mudança do laranja para uma cor escura...

As próximas fotos mostram os detalhes da fuselagem agora com a pintura escura. Dependendo da incidência de luz, a cor fica esverdeada...








Não se assustem com o impacto inicial. Ainda faltam as marcações, verniz e combinações de cores vivas + sujeira...


Este kit da Revell tem um ponto destacante: a riqueza de detalhes quanto às chapas e rebites da fuselagem é estupenda!

Se fosse pintado numa cor clara, um dry-brush com preto e marrom evidenciaria muito bem o aspecto da aeronave. Como não é o caso da versão que estou retratando, o processo inverso deve ser aplicado para evidenciar estes detalhes: Todo modelo pintado com cores escuras deve receber um dry-brush com um cinza, branco ou prata, visando destacar detalhes da estrutura e rebites. No caso do meu HO4S (com cor predominante "Sea Blue"), usei o alumínio... O resultado é um tom mais desgastado (embora o resultado final que pretendo seja não "castigar" muito o aparelho da Marinha Americana...)


Perfil com resultado após o dry-brush com alumínio...


Lado direito...


Detalhes pintados das tampas de acesso a óleo (amarela) e combustível (vermelhas)...


Lado esquerdo...

A faixa amarela (pintada para alertar quanto ao perigo de se aproximar do rotor de cauda) foi mascarada e pintada com amarelo básico. O plastimodelista deve avaliar se certas faixas decorativas devem ser aplicadas no modelo com decal ou tinta. Este "bom senso" se baseia na complexidade de se aplicar um decal versus o trabalho que dará para mascarar e pintar...


Faixa amarela pintada...

Agora uma coisa que considero importante: quando escolho uma versão de pintura, gosto de simular no computador (no "mspaint" mesmo) o aspecto que resultariam as mudanças/aplicações de pintura. Esta técnica ajuda a não cometer erros do tipo "Estou arrependido... não devia ter usado tal cor..."

O resultado que pretendo apresentar neste modelo está retratado na próxima foto. É uma simulação baseada nos decais que disponho e na pintura que pretendo retratar (versão da Marinha Americana, transição dos anos 60, aparelho de transporte, busca e resgate).


Simulação da versão escolhida. Quando não vamos retratar uma aeronave de matrícula específica, fica mais fácil...

Nesta época, a marinha usava uma combinação de cores destacantes combinadas com o "Sea Blue"...


Apliquei a cor laranja nas portas do motor, baseado na versão pretendida.



Ficou bacana...

Tenho aproximadamente 30 anos de plastimodelismo... No início, não tínhamos acesso fácil a informação e "acessórios" como decais e PE's. Na época, quando um decal estragava ou faltava, eu "me virava" com a técnica de criar "máscaras caseiras para decais".

Mandar imprimir marcações brancas em impressoras comuns não é possível, pois a cor branca não é impressa e por este agravante, não atende simplesmente imprimir em papel decal e recortar.

Nessa técnica, primeiro, faço o desenho dos decais que necessito e imprimo em A4 usando uma impressora de boa qualidade. Depois, usando um estilete bem amolado, corto o contorno do desenho que pretendo usar criando a "máscara" para pintura. A máscara era fixada no local adequado do modelo para posteriormente receber tinta branca em spray. Antigamente era mais difícil, pois os desenhos eram feitos na mão... Mas hoje, como o computador e papel para decal, ficou bem mais fácil!

Com a máscara pronta, o próximo passo é preparar a tinta e usar resmas (restos) de papel decal transparente. Posiciono a máscara em cima do papel transparente e aplico tinta branca com o aerógrafo. Aguardo secar para fazer a próxima marcação. É relativamente simples...


Cortando a "máscara"...


Posicionando a máscara para receber tinta branca...


Resultado final...

Saliento que o resultado não fica tão bom se comparado com decais impressos ou industriais, mas funciona e atende para os casos de não se ter estas alternativas de uso.

Para receber os decais, apliquei uma camada de verniz brilhante. Usei a cera Johnson¬ís "Inglesa Max incolor" (sem cheiro) aplicada com aerógrafo de ação simples.


Aplicação de verniz (cera)...


Entre as demãos, é aconselhado aguardar pelo menos 45 minutos...

Com o verniz seco, os decais foram aplicados. Aconselho sempre a aplicar decais no modelo (no caso de um helicóptero) sem estar com os rotores fixados, pois o risco de quebrar é grande.

Nas próximas fotos vocês podem notar o resultado dos decais caseiros feitos via máscara de pintura... Não ficam üma perfeição", mas atendem (se pensar bem, até simulam o desgaste das letras pintadas, via máscara, nos modelos reais).







A versão dos anos 60 do HO4S utiliza uma antena para alta freqüência. Moldei o detalhe usando chapa de alumínio...



A parte traseira do aparelho apresenta uma luz anti-colisão (vermelha). Moldei o detalhe usando sprue derretido (e posteriormente pintado)...


Após aplicar os decais, nova camada de verniz deve ser aplicada para fixar os mesmos. Avaliem nas fotos o resultado, porém não se assustem com o excesso de brilho (pretendo fosquear um pouco o excesso)...








Agora um detalhe que não vem neste kit da Revell: O guincho de resgate. Nas versões anfíbias do H-19 Revell, este detalhe vem nas galhas, porém é bem "fraquinho". Existem dois tipos de guincho utilizados neste helicóptero: os antigos de até 250 kg e os modelos novos de até 350 kg.

Nesta versão, optei pelo guincho antigo. Preparei o guincho usando chapa de alumínio. Baseei-me em fotos que dispunha...



É simples: cortei uma longa tira em alumínio e fui dobrando com o auxilio de uma pinça até chegar à forma correta (observando a escala é claro)...


Depois criei os detalhes do alinhador (usando cabo elétrico desfiado) e a roldana (alumínio e plástico de canudinho comum)...


Colei o conjunto e agreguei mais detalhes "minúsculos" (são 14 detalhes usando arame de clips e alumínio)...


O cabo do guincho foi feito com sprue esticado no fogo de vela e o gancho foi feito com o mesmo material (apenas retorcendo bem de leve). O resultado ficou bom...


Confeccionei os cabos de acionamento usando igualmente o sprue esticado...


Guincho devidamente pintado e fixado no local. Notar os cabos de acionamento já fixados e pintados.


O resultado convence em realismo...

CONTINUA NA PRÓXIMA ETAPA...

Texto e Fotos:

Eventos | Fórum | Eu Quero! | Mercado de Pulgas | Galeria
Variedades | Como Construir | Dicas | Ferramentas
Lojas no Brasil | Administrativo | Livros | Links

Melhor visualizado em resolução 1366 x 768