A quem se destina

  Escolhendo seu kit

  Fazendo as Turbinas

  Rodas e Pneus

  Pintura

  Conversões

  Especiais

  Walk-Arounds

  Downloads

  Referências

 Links

 <<Voltar
Pintura de Aviões Comerciais

Pontos a ponderar: Os aviões comerciais, acredito, são os mais complexos, quando falamos de aviação. Eu digo isso por dois motivos básicos: Primeiro, a maioria dos kits é muito ruim e com poucas opções para um modelo específico (versões). Além disso, a pintura precisa ser muito bem feita. Os detalhes da mesma são muito mais aparentes e pequenos defeitos não podem ser escondidos como num avião militar.

Além disso, para se fazer a pintura, temos que equilibrar vários pontos:

  • Em geral, a pintura superior (se não toda) costuma ser branca e a maioria das cores branca costuma amarelar com o tempo.
  • Tintas duco demoram mais tempo para amarelar, mas costumam descascar. É necessário usar sempre uma máscara muito bem presa para se fazer as faixas e divisões de cores. Se o primer não for bom, pode-se por todo trabalho a perder.
  • A tinta metálica, costuma oxidar com o manusear. Nesse caso, seria melhor que ela fosse aplicada no final.
  • Por outro lado, a tinta metálica costuma ter um pigmento muito fino que fica em suspensão ao ser vaporizado. Ele pode impregnar na pintura já pronta. Nesse caso, seria melhor aplicar antes das demais.

Como você vê, acertar todas as variáveis não é muito simples. Aqui, vou colocar determinados approaches que podem ajudar nessa tarefa:

  • Vamos usar a tinta metálica primeiro, após um primer.
  • Para os tons metálicos, usar laca acrílica. Essa tinta tem uma boa resistência ao manuseio e pode ser aplicado antes das demais.
  • Usar tinta branca duco, quando necessário. Aliás, o uso de duco facilita o uso de determinadas técnicas citadas nessa matéria, embora não sejam obrigatórias.
  • A fita de mascaramento deve ser porosa, para não grudar demais na superfície, aumentando o risco de arrancar. Além disso, devemos diminuir a superfície em que ela será aplicada.

Existem dois tipos de modelos comerciais, em relação às janelas. Eles podem ser rígidos, onde a janela é impressa em decal. Os demais são furados e podem ou não ter janelas em acrílico, que deve ser aplicadas antes da montagem. Para ambos existem críticas e elogios. As janelas em acrílico dão um efeito mais real, mas são mais difíceis de trabalhar, principalmente se for pensar em um mascaramento individual de todas elas. Algumas pinturas, principalmente dos anos 70 e 80 tinham uma faixa colorida que passa justamente pela linha das janelas. Há uma vantagem nesse tipo de janela: nesses casos, o acrílico pode ser ignorado, pois o filme do decal é transparente e faz o efeito da janela.

Eu sou da corrente dos kits com janelas furadas. No entanto, prefiro ignorar as janelas em acrílico do kit. Pode-se usar materiais alternativos após o trabalho de pintura para ter-se o mesmo efeito, como cola branca ou relevo acrílico.

Outra corrente trata da questão montar-e-pintar ou pintar-e-montar. Geralmente, as asas e fuselagem são de tons distintos, sendo que a fuselagem costuma ser pintada, e as asas em tons de metálicos. Há aqueles que preferem pintar em separado e depois montar e outros que preferem montar e depois pintar, com uso de máscaras. Eu prefiro montar tudo e depois pintar. Isso porque os kits de aviões comerciais não são lá grande coisa, e geralmente o encaixe dessas partes não é perfeito. Com isso, o encaixe pode precisar de massa e lixa e o trabalho anterior de pintura fica parcialmente perdido. Vale lembrar que a tinta me'talica realça qualquer defeito e pode prejudicar o seu trabalho, caso escolha a primeira opção.

Preparativos:

Bom, decidido como será o processo a ser usado, o primeiro passo é passar um bom primer em todo o modelo. O primer ajuda a uniformizar o modelo, bem como esconder as diferenças de material da montagem (plástico, cola, massa), deixando uma superfície uniforme para pintura. Além disso, o primer ajuda a fixar tintas de laca (nitrocelulose ou acrílicas).

Nesse processo, você pode identificar pontos que passaram despercebidos, como sulcos e elevações. Corrija todos os problemas (quanto antes, melhor) e re-aplique primer nessas áreas. Após terminar o processo em definitivo, passe uma lixa bem fina (800 ou 1000) para deixar a superfície bem lisa. Lave o modelo e deixe secar (sem usar panos ou papéis). Procure identificar se algum ponto ficou com acúmulo de pó da lixa. Em geral, isso pode ser retirado com uma escova de dentes.

Pintura Metálica:

Como disse, prefiro fazer esse processo primeiro, usando laca acrílica. Pinte as partes metálicas do avião. Em geral, esse tipo de tinta possui boa cobertura, sendo necessárias poucas demãos. Após terminar o processo, passe uma algodão levemente. Isso ajuda a tirar alguns grãos metálicos que ficam impregnados na pintura. Não é necessário fazer polimento.

Para quebrar a homogeneidade do pintura, eu costumo fazer pequenas diferenças de painel. Para isso, isole determinadas a'reas demarcadas (retângulos, quadrados, portas de inspeção, etc) com fita (pode ser uma fita mais simples ou usada mesmo). Use outros tons de laca acrílica para pintar essas áreas. Eu tenho um estoque bem variado de fabricantes desse tipo de tinta e mesmo para cores "iguais", há diferenças mínimas entre tons. Essas diferenças são úteis para os tons de metal que usamos aqui. Note que não se deve usar diferenças muito gritantes entre os paineis.

Pintura Colorida:

O ideal, como eu sugiro aqui, é que a pintura propriamente dita (cores) seja feita após a pintura metálica. O primeiro passo é mascarar as linhas da pintura, sempre mantendo a fita bem firme e reta. Uma dica é olhá-la com o olho bem próximo á fita, verificando se a mesma se encotra reta. Outra dica é usar pontos-chave na fuselagem que podem ser usados para guiar o alinhamento. A fita deve estar bem firme, pois esse tipo de pintura não permite esfumaçados ou vazamentos.

Esse é um dos casos que recomendo fita Tamiya (pois não achei nenhum equivalente à altura). Para economizar fita, eu uso somente nas partes críticas da pintura. Ao redor, uso fita de marcaramento simples (parece uma fita crepe, mas sem tanta cola) ou até mesmo papéis velhos para proteger o restante do avião.

A quantidade de demãos vai variar conforme a cobertura da tinta (Recomendo duco), mas em geral, duas ou três demãos são suficientes. Outra dica, lembre-se sempre de pintar primeiramente as partes mais claras.

Polimento:

Esse processo é parecido com o polimento para automóveis, mas é menos intenso. Afinal, a pintura de um avião não igual ao de uma Ferrari. O próprio efeito escala deixaria um efeito falso nesse caso. Bom, primeiramente, pegue uma lixa d'água 2000 e lixe os pontos com mais "casca de laranja". No processo, a tinta ficará fosca, mas estará mais lisa. Não se preocupe, pois é normal que fique assim.

Com o dedo, passe um pouco de Massa de Polimento Nr.2 (achado em casas de pintura automotiva). Deve-se usar pouca massa, caso contrário, seu dedo deslizará sobre a massa e não haverá o atrito da mesma com o plástico. Você deve ser capaz de sentir a abrasão entre o dedo e o plástico.

Com um algodão de polimento (também achado em casas de pintura), passe um pequeno tufo em movimentos circulares. A primeira passada irá tirar somente o excesso de cera. Na segunda passada, fazendo mais força, irá abrir o brilho real da pintura.

Todos esse processo pode ser repetido, se necessário, mas não recomendo, pois foram aplicadas poucas demãos de pintura e corre-se o risco de "lacear" a pintura, mostrando as camadas inferiores do plástico/primer. A pintura automotiva não precisa de verniz, por isso não recomendo o mesmo.

Acabamento:

Esse processo é opcional. Muitos modelistas não gostam de sujar seus aviões civis. Nesse caso, como a escala é 1/72, e me permito fazer. Em escalas menores como 1/144 ou 1/200, isso deve ser feito com muito critério. Para esse técnica, é necessário que a pintura anterior tenha sido feita com duco e laca acrílica. Isso porque usaremos aguarraz e esse solvente não reage com as tintas citadas.

Dilua um pouco de betume da Judéia com aguarráz. Aplique essa pasta sobre as linhas de painel. Veja que a pasta não precisa ser muito bem aplicada. Deixe descansar por um ou dois minutos.

Com um cotonete embebido em aguarráz, passe-o sobre a pasta removendo o excesso. Isso deve ser feito no sentido do fluxo do ar, no avião real. Caso sobrem manchas de betume ou o efeito fique muito forte, você pode tirar o betume com um pincel e aguarraz.

Texto:

Eventos | Fórum | Eu Quero! | Mercado de Pulgas | Galeria
Variedades | Como Construir | Dicas | Ferramentas
Lojas no Brasil | Administrativo | Livros | Links

Melhor visualizado em resolução 1366 x 768
Eventos Agendados
Maio
S T Q Q S S D
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31      

Junho
S T Q Q S S D
        1 23
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30