Aviação Sueca

  Cores da FAB

  Matrículas da FAB

  Modelos da FAB

  Aviação da Marinha

  Fraternidade do Fole

  Luta Antissubmarino

  Luftwaffe WWII

  RAF

  Faixas do Dia D

  Armas

  Fokker

  Seversky

  Motherships

  Dirigíveis

 << Voltar
Aviação do Exército Brasileiro

PRIMÓDIOS:

A aviação do Exército surgiu muito antes da aviação propriamente dita. Já em 1867, o exército brasileiro usou de balões de hidrogênio tripulados para observação de tropas inimigas, durante a Guerra do Paraguai. Essa idéia foi copiada dos EUA que os usaram durante a guerra de secessão. Esses balões eram cativos, ou seja, ficavam amarrados ao solo e não havia nenhuma espécie de controle para o tripulante.

Vale lembrar no início da aviação, não se sabia o destino do avião em sua função militar. Muitos acreditavam que ele seria apenas mais um tipo de armamento a dar suporte as forças terrestres ou navais. Somente muito mais tarde é que o papel de aviação como força armada em separado, seria adotado por todos os países.

Em 1911, surgiu a Escola Brasileira de Aviação Civil, por iniciativa de alguns pilotos italianos. A escola surgiu no Campo dos Afonsos e funcionou em condições precárias até 1914, quando acabou fechando. O exército acabou adquirindo a infra-estrutura da escola, mas ela só começou a operar em 1919, após, portanto, do surgimento da aviação naval.

HISTÓRIA:

Em 1919, uma missão francesa foi contratada para equipar e treinar os pilotos militares brasileiros. Todo o equipamento era escolhido por essa missão e eram naturalmente de origem francesa. Mesmo as exceções (alguns aviões ingleses) eram modelos fabricados na frança. A exceção à regra, foram alguns exemplares de fabricação nacional de construção "artesanal" tais como os Vilela e posteriormente os Lafay, mas estes não foram fabricados em série. Essa hegemonia francesa durou até a Revolução Constitucionalista de 32.

Em 1922, surgem os primeiros raids organizados pelo exército e o interesse em descentralizar a estrutura do Campo dos Afonsos, levando a fundação da base em Alegrete de Santa Maria, mas essa acabou sendo fechada. Na verdade, os franceses não gostavam da idéia de descentralizar o controle do Campo dos Afonsos.

Somente em 1927, a aviação passa a ser considerada uma Arma do Exército, tendo uma infra-estrutura em separado (tais como cavalaria, Infantaria, etc). Em 1930, chegam os grandes dirigíveis alemães ao Brasil. Por conta disso, é construído o hangar de dirigíveis na base dos Afonsos, único remanescente desses gigantes nos dias de hoje.

Em 1930, após a revolução de Vargas, o Governo requisita todos os aviões civis do estado de SP. Acredita-se que isso tenha sido uma medida punitiva, pois a maioria dos modelos nem recebeu matrícula e há pouca ou nenhuma referência sobre estes. Isso explica um grande número de aeronaves do acerco do exército onde consta-se apenas um exemplar, tais como Fiat AS.1, Orthon Hoover São Paulo, Breda 15, Curtiss JN entre vários outros. Em 1932, ocorre algo semelhante, quando o governo toma os aviões tomados pelos rebeldes, durante a revolução Constitucionalista de 32.

CONSEQUÊNCIAS DE 1932:

Em 1932, após o final da Revolução Constitucionalista, ocorre uma verdadeira revolução no papel da Aviação Militar. Dentre elas, podemos citar:

  • O Governo sentiu que estava enfraquecido em relação a sua aviação e adquire grande número de aeronaves. A França deixa de ter força na escolha dos modelos e chegam grandes quantidades de aviões americanos, como os Waco, Boeing 256 e 267, Curtiss, Stearman, etc.
  • Como conseqüência do grande número de aviões, surgem diversos núcleos para dar apoio às atividades aeronáuticas, como o NSTA (Núcleo de Serviços Técnicos da Aeronáutica; predecessor do ITA), o Serviço Médico e o Serviço Meteorológico. Além disso, começam a surgir os Regimentos de Aviação, espalhando os aviões pelo país, tais como Santa Maria (32), Canoas (36), Curitiba (32), Fortaleza (34), São Paulo (34) e Belém (39).
  • Em 1932, o governo obriga-se no dever de ligar as comunicações do país. Assim, surge o CAM (Correio Aéreo Militar). O primeiro avião dessa tarefa foi um Curtiss Fedgling. Em 1940, todas as capitais do Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste estavam ligados. A Exceção ficava pela região Norte, devido a autonomia dos aviões e dificuldades de infra-estrutura nessa região.

Ainda em 1934, surge oficialmente o cocar usado pela FAB atualmente. Lembrando que a aviação fazia parte do Exército, então esse cocar era do mesmo, e pode-se encontrar tanques e carros de combate com esse cocar. A estrela de cinco pontas (Verde e Amarela) em volta do círculo azul separado por uma faixa branca é o mesmo de hoje, exceto que a coroa branca era mais larga originalmente.

Por fim, em 1941 ocorre a formação da Força Aérea Brasileira, juntamente com o Ministério da Aeronáutica. Os aviões do Exército e Marinha, bem como sua infra-estrutura de terra e pessoal (todos puderam optar em ficar nas forças antigas se preferissem) foram incorporados à FAB e Salgado Filho foi então seu primeiro ministro da Aeronáutica.

II FASE:

A Aviação do Exército foi re-instituída em 1986. Sua principal força era constituída de helicópteros para apoio em operações de campo. Além disso, ela operou alguns EMB110 Bandeirantes, mas estes eram arrendados da da FAB

EM COMBATE:

Desconsiderando-se a Guerra do Paraguai, a aviação do Exército não atuou em nenhum conflito externo. No entanto, teve um papel em combate bastante efetivo em conflitos internos, lutando em diversas revoluções, com a do Contestado, Revolução de 1924, Rev. de Vargas de 1930 e na Rev. Constitucionalista de 1932.

Além disso, em 1935, houve a Intentona Comunista liderada por Luiz Carlos Prestes. Embora não tenha envolvido aviões no caso, houve o assassinato dos oficiais nos Campos dos Afonsos, fato que iniciou a Intentona. Essa tentativa foi rapidamente frustrada e seus líderes foram presos. Alguns desses amotinados serviram posteriormente na aviação espanhola, lutando ao lado do Gen. Franco, durante a Guerra Civil Espanhola e outros, na China, ao lado de Mao Tse Tung.

Outro fato importante em relação aos combates, ocorreu com a missão francesa. Em 1940, a missão é obrigada a retornar à França, para ajudar contra a invasão nazista. Assim, os franceses deixam o Brasil, mas vão diretamente para a Inglaterra, pois a França já havia se rendido. Esses pilotos lutaram, então, pela RAF e afirmaram publicamente que seu sucesso posterior era devido à experiência adquirida em sua estada no Brasil.

Abaixo, a tabela com os modelos disponíveis para modelagem da Aviação do Ex'ercito Brasileiro

Aviões do Exército Brasileiro
Modelo Escala Fabricante (Código) Observação
Aerospatiale AS.332M1 Super Puma
(versão AS.532UE Cougar; inicialmente s/ tanques; depois tanques pequenos)

1/72 

Heller (80367)

 

1/72 

Italeri (096)

 

1/72 

Revell (4472)

 
Aerospatiale AS.365 Dauphin
(Modelo K)

1/48 

Trumpeter (2801)

 

1/72 

Revell (4467)

 

1/72 

Matchbox

 
Amiot 122 Bp3   
Avro 626

1/48 

Aeroclub

 

1/72 

Omega (OM72169)

 
Bellanca 31-50 skyrocket   
Bellanca CH-300 Special Pacemaker

1/72 

Khee-Kha Art (03)

 
Boeing 267
(Fuselagem do F4B3 e asas do Boeing P12)
   
Boeing F4B3
(Converter do F4B4 (Deriva e Extensão do canopi mais aerodinâmicos)
   
Boeing F4B4 (Boeing 256)(1) (2

1/32 

Hasegawa (S007)

 

1/48 

Classic Airframes (CAF417)

 

1/700 

White Ensign Models (WEAS7100)

 

1/72 

Olimp (OLPR7231)

 

1/72 

Navair (NAV05)

 
Breda 15   
Breguet 14 A2/B2

1/144 

Airalex

 

1/144 

Sram (SRAM52D)

 

1/48 

Hi-tech (HT003)

 

1/72 

HR Models (7337)

 

1/72 

Czech Master (CR003)

 

1/72 

AZ Models (AZM72004)

 

1/72 

Classic Planes

 

1/72 

Cramer

 

1/72 

Wings Models (346)

 

1/72 

Veterans 72

 

1/72 

Pegasus

 
Breguet 19/28

1/72 

Azur (AZUR7248)

 

1/72 

Hit Kit

 

1/72 

Airmodel (AM-077)

 
Breguet 19A GR

1/72 

Dujin (DUA72069)

 
Caproni 45   
Caudron 140   
Caudron G.4

1/48 

Aeroclub (AJ010)

 

1/48 

AJP Maquettes (2010)

 

1/72 

Formaplane

 

1/72 

Phoenix

 
Caudron G.59

1/72 

Omega (COM72260)

 
Consolidated Commodore 16   
Curtiss JN
(tipo não especificado)
   
Curtiss Model 51 Fledgling   
Curtiss O-1E Falcon

1/72 

Ardpol (72-042)

retirar armamento

Curtiss-Wright CW-16   
DeHavilland DH-60T Moth Trainer

1/72 

Frog

 

1/72 

AModel (72150)

 
Embraer EMB-110 C Bandeirante C-95
(mais curto (15,28->14,23) (à frente))
   
Farman 92   
Farman F42   
Fiat AS.1   
Fleet 10D   
Fleet 7   
Focke-Wulf Fw-44J Stieglitz
(Produzido na Argentina)

1/72 

Huma (2500)

 

1/72 

Pegasus

 
Great Lakes 2T-1A   
Hanriot H.410   
Helibras AS-350 Esquilo

1/50 

Heller (80488)

na caixa consta escala 1/48

1/72 

Miku Models ( 72047)

 
Lafay Independência   
Lafay Rio de Janeiro   
Liore et Olivier (LeO) 25 BN4   
Lockheed L-12 Electra Junior

1/72 

Special Hobby (SH72023)

 
Morane-Saulnier MS-130

1/72 

Heller (217)

230;Converter para MS-130

1/72 

Smer (839)

230;Converter para MS-130

Morane-Saulnier MS.137 Ep2   
Morane-Saulnier MS.147 Ep2   
Morane-Saulnier MS.149 Ep2   
Morane-Saulnier MS.21 P
(Rolador; asas parcialmente desenteladas)

1/72 

Joystick (62)

 
Morane-Saulnier MS.35 Ep 2

1/72 

Choroszy Modelbud (CHM72A11)

 
Muniz M.5   
Muniz M.7   
Muniz M.9   
Nieuport 15m2
(provavelmente Nieuport 17)
   
Nieuport 21 E1

1/48 

Eduard (EDK8076)

 

1/72 

Omega (COM72071)

 
Nieuport 23m2
(provavelmente Nieuport 12)
   
Nieuport 24bis E1

1/48 

Hi-tech

 

1/72 

HR Models (7324)

 

1/72 

Joystick (JOY26)

 
Nieuport 80   
Nieuport 81 D2   
Nieuport 82 E2   
Nieuport 83 E2   
Nieuport Delage 641   
Nieuport-Delage NiD 72 C1

1/72 

Heller (80224)

converter para NiD72

1/72 

Smer

converter para NiD72

North American NA.72
(ver T-6 Texan (FAB))
   
Orthon Hoover São Paulo   
Potez 25 A2

1/48 

Aeroclub (AJ028)

 

1/48 

AJP Maquettes (7002)

 

1/72 

Azur (AZUR7249)

 

1/72 

Dujin (DUA72189)

 

1/72 

Czech Master

 
Potez 25 TOE

1/48 

Aeroclub (AJ029)

 

1/48 

AJP Maquettes (7003)

 

1/72 

Hit Kit

 
Potez 32   
Potez 33   
Royal Air Factory SE.5a Scout ???

Guillow's

 

1/32 

Wingnut Wings (32003)

 

1/4 

Balsa USA

 

1/48 

Blue Max (BM110)

 

1/48 

Lindberg (532)

 

1/48 

Roden (48016)

 

1/48 

Aurora (103)

 

1/48 

Smer (102)

1/50

1/48 

Entex (8518S)

 

1/72 

Revell (4323)

 

1/72 

Scaleplanes

 

1/72 

Roden

 

1/72 

AMT/ERTL

 
Savoia-Marchetti SM.79T Sparviero(1) (2
(retirar armamento; fechar tudo atrás da cabine)

1/32 

ID Models (ID3246)

 

1/48 

Classic Airframes (452)

 

1/48 

Trumpeter (T4817)

 

1/48 

Vintage (V-01)

 

1/50 

Smer (120)

 

1/700 

White Resign (A7000)

 

1/72 

Airfix (4007)

 

1/72 

Italeri (1225)

 
Schreck FBA HMT2

1/48 

Aeroclub (JM001)

 

1/48 

Modelkrak (48002)

 

1/48 

Special Hobby (SH48039)

 

1/72 

Hit Kit (2822)

 
Sikorsky UH-60 Blackhawk
(versão UH60A)

1/100 

Revell (4984)

 

1/100 

Accurate Miniatures (3105)

 

1/144 

Can.Do Pocket Army (CDO20146A)

 

1/144 

DML (4578)

 

1/35 

Academy (2217)

 

1/48 

Revell (4458)

 

1/48 

Italeri (2666)

 

1/48 

Academy (11621)

 

1/72 

Revell (4433)

 

1/72 

Fujimi (25004)

 

1/72 

Italeri (025)

 

1/72 

Hasegawa (433)

 
Sopwith 1A2
(1 ½ Strutter)

1/48 

Roden (ROD0402)

 

1/72 

Merlin

 

1/72 

Flashback

 

1/72 

Classic Planes

 

1/72 

Airmodel

 

1/72 

Airframe

 

1/72 

Toko (TK0118)

 

1/72 

Eastern Express (EX72157)

 

1/72 

Eduard (EDULH7961)

 

1/72 

Czech Master (CR0018)

 

1/72 

Pegasus

 
Spad 7C1

1/40 

Smer (SR824)

 

1/40 

Heller

 

1/48 

Special Hobby (SHY48009)

 

1/48 

Aeroclub (AJ030)

 

1/48 

Blue Max

 

1/48 

JMGT

 

1/48 

AJP Maquettes (2006)

 

1/72 

Mach Models (MAC72048)

 

1/72 

Airfix (129)

 
Spad Hebermont 54   
Stearman A-75 L3 Kaydett

1/15 

Guillow's (803)

 

1/48 

Lindberg (72582)

 

1/48 

Varney

 

1/48 

Revell (03957)

 

1/72 

Pavla Models (72042)

 
Stearman A/B-76 C3   
Vilela Alagoas   
Vilela Aribu   
Vought V65B Corsair

1/4 

Bob Dively

 
Vultee V11 GB2(1) (2) (3

1/72 

Azur (72039)

 

1/72 

Commando5

 
Waco CJC   
Waco CPF-5   
Waco CSO

1/72 

Commando5 (C5-7211)

 
Waco CTO
(Waco CTO, com asas mais enflechadas)
   
Waco EGC-7

1/72 

Execuform (EX62)

 
Waco RNF   
Waco UMF-3   
Wibault 73 C1

1/72 

Dujin (DA72191)

 

Legendas
    Desconhecido
    Madeira
    Metal
    Multimídia
    Photo-etched
    Plástico
    Resina
    Vacumform

Texto:

  • Pesquisa:

  • Agradecimentos:

  • César Ferreira

    Referências:

  • 72 Scale Modeling
  • Spanish Civil War Aircraft Modelling


    Eventos | Fórum | Eu Quero! | Mercado de Pulgas | Galeria
    Variedades | Como Construir | Dicas | Ferramentas
    Lojas no Brasil | Administrativo | Livros | Links

    Melhor visualizado em resolução 1366 x 768
  • Eventos Agendados
    Janeiro
    S T Q Q S S D
    1 2 3 4 5 6 7
    8 9 10 11 12 13 14
    15 16 17 18 19 20 21
    22 23 24 25 26 27 28
    29 30 31        

    Fevereiro
    S T Q Q S S D
          1 2 3 4
    5 6 7 8 9 10 11
    12 13 14 15 16 17 18
    19 20 21 22 23 24 25
    26 27 28