Aviação Sueca

  Cores da FAB

  Matrículas da FAB

  Modelos da FAB

  Aviação da Marinha

  Fraternidade do Fole

  Luta Antissubmarino

  Luftwaffe WWII

  RAF

  Faixas do Dia D

  Armas

  Fokker

  Seversky

  Motherships

  Dirigíveis

 << Voltar
Cores da FAB...

Força Aérea Brasileira

As cores que seguem abaixo, seguem as normas de pintura da Aeronaútica conforme o EMA 8010, com referencial no Federal Standard 595a - 1974. Novas cores foram incluídas nesta norma, e assim que o material esteja em minhas mãos, a tabela vai ser atualizada.

  EMA 8010-1 FS 595a
Cor
Brilhante
Fosca
Brilhante
Fosca
  • Alumínio Mirage
  • Alumínio
  • Amarelo Insígnia
  • Azul Mar
  • Azul Insíginia
  • Branco Insíginia
  • Marfim
  • Azul
  • Cinza
  • Laranja
  • Creme
  • Marrom
  • Preto
  • Verde Insígnia
  • Verde Claro
  • Vermelho
  • Dourado
  • Azul Estratosférico
  • Coral
  • Vermelho Vivo
  • Azul Escuro
  • Castanho
  • Cinza Pérola
  • Cinza Claro
  • Cinza Escuro
  • Marrom
  • Preto
  • Terra
  • Verde Folha
  • Verde Azulado
  • Verde Oliva
  • Verde Seco
  • Verde Acastanhado
  • Amarelo (Refletivo)
  • Laranja (Refletivo)
  • Verde (Refletivo)
  • Vermelho (Refletivo)
  • 100
  • 101
  • 102
  • 103
  • 104
  • 105
  • 106
  • 107
  • 108
  • 109
  • 110
  • 111
  • 112
  • 113
  • 114
  • 115
  • 116
  • 117
  • 118
  • 119
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • 180
  • 181
  • 182
  • 183
  • 200
  • 201
  • 202
  • 203
  • 204
  • 205
  • 206
  • 207
  • 208
  • 209
  • 210
  • 211
  • 212
  • 213
  • 214
  • 215
  • 216
  • 217
  • 218
  • 219
  • 250
  • 251
  • 252
  • 253
  • 254
  • 255
  • 256
  • 257
  • 258
  • 259
  • 260
  • 261
  • 262
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • 17178
  • 13538
  • ---
  • 15050
  • 17875
  • 17778
  • ---
  • 16440
  • 12215
  • ---
  • 10080
  • 17038
  • 14062
  • ---
  • 11136
  • 17043
  • 15045
  • ---
  • 11105
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---
  • 13637
  • 12473
  • 14109
  • 11302
  • ---
  • ---
  • 33538
  • 35352
  • 35051
  • 37875
  • 37778
  • ---
  • 36440
  • ---
  • 36586
  • ---
  • 37038
  • ---
  • 34583
  • 31136
  • 27043
  • 35045
  • ---
  • ---
  • 35042
  • ---
  • 36622
  • 36293
  • 36118
  • 30140
  • 37038
  • 30219
  • 34102
  • 34159
  • 34086
  • 34201
  • 34151
  • ---
  • ---
  • ---
  • ---

Aviação Naval

Esta instrução foi copiada na integra de um documento encontrado no Museu Aeroespacial. Deve ser lida com muita atenção para se entender como eram pintados os aviões no período que este documento abrange :

Aviação Naval
Diretoria de Aeronáutica
Divisão do Material (D.A.5)
Rio de Janeiro, 20/06/1940
Identificação de Aviões
Ordem Permanente N.º 10

IDENTIFICAÇÃO DE AVIÕES

1) A identificação dos aviões da Aviação Naval é feita seguindo o sistema seguinte:

  • Pintura geral do avião: compreendendo as cores a empregar e os distintivos de nacionalidade e da Aviação Naval;
  • Símbolos de identificação do tipo e da unidade e suas partes;
  • Símbolos de identificação nas Forças.

A) PINTURA GERAL

2) Os aviões da Aviação Naval em tempo de paz serão pintados de acordo com as seguintes disposições:

a) Terão a cor - amarelo cromo - o dorso das asas (nos monoplanos) ou o dorso das asas superiores (nos biplanos); o dorso do estabilizador; o dorso do leme de profundidade;
b) Terão a cor - cinzento claro - as partes metálicas e de madeira, visíveis externamente no avião montado, mesmo que devam receber normalmente capotas aerodinâmicas, observadas as prescrições dos itens a e e;
c) Terão a cor - alumínio - as partes enteladas visíveis externamente no avião montado, observadas as prescrições dos itens a e e;
d) Terão a cor - verde mate - as partes ou peças metálicas e de madeira da estrutura do avião não compreendidas no item b;
e) Terão a cor - preto fosco - o painel de instrumentos; a parte superior, da fuselagem situada entre o anel ou capota do motor e o pára-brisas do posto de pilotagem;
f) Canalizações:

Gasolina Amarelo
Óleo Castanho
Ar Azul
Incêndio Vermelho
Extinção de Incêndio Vermelho
Painel de Instrumentos Preto fosco
Caixas de Instrumentos Preto fosco
Equipamentos dos flutuadores de Emergência Azul claro
Oxigênio Verde
Pressão hidráulica de óleo Castanho com cintas amarelas
Tubo de admissão da mistura super comprimida Vermelho e amarelo

g) Os aviões de instrução elementar e os aviões ambulância terão as partes a que se referem, os itens a, b, e, totalmente pintadas de amarelo cromo;

h) Os aviões do Correio - M - terão as asas, o estabilizador e o leme de profundidade totalmente pintados da cor - amarelo cromo;

  • Nesses aviões, terão a cor - azul marinho - todas as partes citadas nos itens b, e c acima.
  • Nesses mesmos aviões as letras e algarismos dos símbolos de identificação terão a cor - amarelo cromo.

3) Completando a pintura externa os aviões terão os distintivos nacionalidade e corporação.

4) O distintivo da nacionalidade será:

  • Nas asas - Um cocar formado por um círculo pintado de azul, circundado por duas coroas circulares concêntricas, pintados do centro para a periferia, respectivamente de amarelo e de verde; os diâmetros das circunferências exteriores dessas duas coroas, devem ser respectivamente o dobro e o triplo do diâmetro do circulo; esse cocar deve ser pintado no dorso das asas superiores e no ventre das asas inferiores de modo que o seu centro fique eqüidistante dos bordos de ataque e de saída da asa (contando-se o aileron), e distante da extremidade da asa, 1/3 do seu comprimento; o diâmetro do cocar deve ser igual aos 7.10 da profundidade da asa (distância do bordo de ataque ao de saída) nesse primeiro terço.
  • NOTA: Nos monoplanos, ou sesquiplanos - o cocar deve ser pintado no dorso e no ventre das asas superiores; b) Nos lemes de direção - três faixas da mesma largura, de cada lado dos lemes, paralelas ao eixo vertical do avião, pintadas respectivamente de azul, amarelo e verde, a partir dos gonzos de articulação do leme. 5. O distintivo de corporação será: a) Nas asas - uma ancora (modelo anexo) pintada no ventre de cada asa inferior, a meio da distancia entre sua ligação com a fuselagem e a circunferência externa do cocar, tendo a haste, de altura, 7/10 da profundidade da asa, sendo a profundidade medida sobre aquele ponto médio;
  • Nos lemes de direção - a palavra MARINHA, escrita a meio de cada face dos lemes, com letras do modelo anexo de altura 0m,10.

NOTAS:

  • Nos monoplanos, ou nos sesquiplanos a ancora deve ser pintada no ventre da asa única ou da asa superior.
  • Quando a asa tiver cabides de bombas, a ancora deve ser pintada a meio da distancia entre o cabide e a circunferência externa do cocar; caso esta distancia seja insuficiente, o cocar será afastado para o extremo da asa.

B) IDENTIFICAÇÃO DO TIPO, UNIDADE E SUAS PARTES

I) Da identificação do tipo:

6) Todos os tipos de aviões em serviço na, Aviação Naval terão um símbolo de identificação de tipo, composto de letras e números. Esse símbolo terá a seguinte significação da esquerda paraa direita:

a) primeira letra ou grupo de letras: função do avião;
b) primeiro número: um determinado modelo;
c) segunda letra ou grupo de letras: fabricante do avião:
d) segundo número: modificações do primeiro modelo recebido pela Av. Naval.

7) As funções dos aviões serão definidas pelas seguintes letras ou combinações das mesmas:

A ataque
B Bombardeio
C Combate - Caça
E Esclarecimento
F Fotografia Aérea
I Instrução Elementar
J Serviços gerais da Esquadra
M Correio (Mala Postal)
O Observação
P Patrulha
S Aviões ambulância (Socorro)
T Torpedeiro
U Utilização geral (aviões não classificados nos itens anteriores, incluindo aqueles em serviço geral nos departamentos de aeródromo das bases)
V Adestramento militar
X Em experiências ou demonstração
Z Transporte

8) Os fabricantes dos aviões atualmente em uso na Aviação Naval serão identificados pelas seguintes letras ou grupo de letras:

AV-N Oficinas da Aviação Naval
B boeing
Be beech Aircraft
F Fairey
FW Focke Wulf
H De Haviland
M Glenn Martin
NA North American
V Vought Corporation
W waco

9) Sempre que um novo avião for adquirido para a Aviação Naval a Diretoria de Aeronáutica lhe dará um símbolo dê identificação de acordo com as presentes instruções, itens 6, 7 e 8 e esse símbolo acompanhara o avião até sua baixa do serviço, mesmo que lhe seja atribuído um novo símbolo de identificação nas Forças.

Quando qualquer avião estiver sendo usado, pela Av. Naval, a título experimental, o seu símbolo de identificação, se lhe for dado algum, será precedido da letra X, a qual será retirada com sua entrada em serviço.

EXEMPLO:

1) O símbolo P1M - significa avião de patrulha (P), 1º modelo adquirido pela Aviação Naval, da fabrica Glenn Martin (M); o símbolo P1M1 significaria haver sido introduzida uma alteração no avião P1M (mudança do tipo do motor, transformação ou alteração das partes importantes do avião sem lhe alterar o modelo etc.);
2) O símbolo X - C2B1 - significa que o avião C2B1 está sendo usado em experiência.

II) SÍMBOLO DE IDENTIFICA ÇÃO DO TIPO E DE SUAS PARTES

10) A identificação do avião será feita, colocando-se á direita do símbolo correspondente ao seu tipo, o número de ordem de seu recebimento na Aviação Naval, separado por um traço;

EXEMPLO: Se o trigésimo quinto avião recebido na Aviação Naval fosse um C 1 B, sua identificação seria C 1 B-35; do mesmo modo, si o trigésimo sexto, fosse um P 1 5, sua identificação seria P 1 S-36.

11) A numeração dos aviões será feita pela D . A., seguidamente por ordem de recebimento.

12) O número dado á um determinado avião, mesmo depois de sua baixa, não será mais empregado para identificação de nenhum outro avião.

13) Essa maneira de identificar o avião será, sempre que possível a usada na correspondência oficial, e, obrigatoriamente nas cadernetas de vôo, e nos livros - do avião - do motor - de termos de inventários e de inúteis - de cargas - de baixas - e etc.

14) Esse símbolo de identificação deve ser pintado a meia altura de cada lado (direito e esquerdo) da fuselagem ou do bote. A primeira letra desse símbolo, no lado esquerdo da fuselagem, e o seu ultimo algarismo no lado direito da mesma. Deve, ficar a 1/3 da distancia que vai do extremo da fuselagem, na cauda, ao plano transversal que passa pelos pontos de encontro dos bordos de saída das asas, com a fuselagem. Esta distancia contada a partir da cauda;

NOTAS:

a) A posição acima determinada para esses símbolos, só poderá ser alterada para outra mais conveniente, quando os mesmos caírem em portinholas, vigias, roldanas, cabanas, etc.
b) As letras e algarismos desses símbolos, são do modelo padrão, anexo, com altura de 0m,05.

15) Nos flutuadores centrais e das asas, partes do trem de pouso, asas, lemes, estabilizadores, seções centrais, tanques, capotas de motor, montantes de asa, de cauda e de flutuadores, estais, etc. ,deve ser pintado, apenas, o número do avião em tinta preta, com algarismos do modelos padrão de 0m,01 de altura, esses número será inscrito num retângulo de 0,015m, de altura e de base correspondente as dimensões do número.

16) Para a marcação das várias partes de um avião, e consequentemente facilidade de reconhecimento, obedecer-se-á a seguinte norma:

a) fuselagens e botes - serão marcados como já ficou estabelecido, no item 14;
b) flutuadores (centrais e das asas) e capotas de motores - na parte superior á ré e á direita;
c) asas, estabilizadores, lemes de profundidade e seções centrais no ventre a meio e a ré;
d) quilhas verticais. lemes de direção, montantes, tanques, pernas amortecedoras do trem de pouso e bequilhas - na parte de cima do lado direito e a meio (posição no avião);
e) rodas - em lugar visível, exteriormente ou como o estabelecimento na alínea abaixo;
f) estais, tubos estais, peças fusiformes, ferragens, na parte inferior, do lado direito (posição do avião).

17) Quando a superfície da parte que deve ser marcada não permitir a pintura do número do avião, esse número deve ser gravado em alumínio com a altura máxima de 0,02m, sendo essa chapa presa em forma de anel, a parte que vai identificar com folga suficiente para evitar possível oxidação das superfícies em contato.

C) SÍMBOLOS DE IDENTIFICAÇÃO NAS FORÇAS

18) O sistema de identificação dos aviões nas forças, usado principalmente, para a identificação do avião em vôo, compreenderá:

1) Símbolo de identificação da flotilha e do avião na flotilha;
2) Distintivo da esquadrilha;
3) Distintivo da seção;
4) Distintivo de comandante de flotilha e de força aérea;
5) Distintivo de comandante de esquadrilha e de seção.

19) O símbolo de identificação da flotilha e do avião na flotilha, será composto de letras e números separados por um traço, tendo a seguinte significação da esquerda para a direita: Primeiro número - número da flotilha a que pertence o avião As letras que se seguem - natureza da flotilha (função) Segundo número - número do avião na flotilha;

EXEMPLO: O décimo oitavo avião da primeira flotilha de aviões de bombardeio e torpedeamento terá o seguinte símbolo: 1-BT-18.

NOTA: No caso dos aviões que pertencem a Grupos o primeiro número indica o número do Grupo; as letras representativas da função serão precedidas de G ou GM caso se trate de grupo formado de aviões semelhantes ou de grupo misto; o segundo número indica o número do avião no grupo.

EXEMPLO: O símbolo de identificação no 1º Grupo misto, do avião de caça número 2 será: 1-GMC-2.

20) Esse símbolo deve ser pintado a meia altura de cada lado (direito/esquerdo) da fuselagem ou do bote. O primeiro algarismo do símbolo, no lado direito da fuselagem ou do bote, e o ultimo algarismo desse símbolo, no lado esquerdo da mesma fuselagem ou do bote, devem ficar a meio da distância que vai do extremo da fuselagem, na cauda, ao plano transversal pelos pontos de encontro dos bordos de saída das asas com a fuselagem.

21) As letras e algarismos desse símbolo são do tipo padrão com altura de 0m,35.

22) O distintivo de esquadrilha será uma figura pintada nos dois lados da fuselagem ou do bote, por ante-vante do símbolo da flotilha.

NOTA: Essa figura escolhida pelo comandante da esquadrilha, só poderá ser usada depois de aprovada e mandado adotar pelo D.G.A.

23) O distintivo de seção será composto de duas faixas, de 30 cms. de largura, pintadas no dorso das asas superiores, uma em cada asa, da seguinte maneira: começarão no bordo de ataque e terminarão no bordo de saída da asas; serão inclinadas de 45º em relação ao plano vertical que contem o eixo longitudinal do avião, tendo o angulo por elas formado, a abertura voltada para ré a linha que limita a faixa, internamente, partirá de um ponto do bordo de ataque da asa, distante da fuselagem ou da seção central 1/25 do comprimento da mesma asa.

24) Os aviões guias das seções terão pintada abraçando a fuselagem por ante a ré da cabine uma faixa da cor caraterística da seção, da largura de 30 cms.; sobre a faixa ficará a letra indicativa da função do avião.

25) Os anéis aerodinâmicos dos motores, nos aviões das diversas seções, devem ser pintados com as mesmas cores das respectivas faixas de asa, obedecendo essa pintura a disposição seguinte:

no avião n.º 1 - do Comte. de Seção - todo o anel;
no avião n.º 2 - a metade inferior do anel;
no avião n.º 3 - a metade superior do anel.

NOTA: Se os motores forem cobertos com capotas em vez de o serem com "anéis" deve ser pintada em volta daquelas, uma cinta, nas condições estipuladas acima. Essa cinta, terá a mesma largura das faixas de asa 0,30m e começará a 0,50m de distancia do plano diametral da hélice.

26. As cores dessas faixas, cujas tonalidades constam da tabela anexa, serão:

Para os aviões da 1ª seção: Azul (marinho)
Para os aviões da 2ª seção: Vermelho
Para os aviões da 3ª seção: Verde
Para os aviões da 4ª seção: Amarelo
Para os aviões da 5ª seção: Branco
Para os aviões da 6ª seção: Preto
Para os aviões da 7ª seção: Creme e branco, e listras
Para os aviões da 8ª seção: Azul turquesa e branco em listras
Para os aviões da 9ª seção: Castanho e branco em listras.

27) O distintivo de comandante de esquadrilha será uma corneta com 21 estrelas brancas em cruz, medindo na tralha 0,25m e de comprimento 0,35m.

28) Essa corneta deve ser pintada entre o distintivo da esquadrilha e o símbolo de identificação do avião na força, no mesmo alinhamento deste e com o láis voltado para a cauda sendo:

Comte. da 1ª Esquadrilha - em fundo azul
Comte. da 2ª Esquadrilha - em fundo encarnado
Comte. da 3ª Esquadrilha - em fundo verde.

29. O distintivo de comandante de flotilha será uma corneta com as mesmas dimensões e caraterísticas da anterior dividida em três faixas verticais, da mesma largura, pintadas, da tralha para o láis respectivamente de verde, vermelho e azul.

30. Quando uma força possuir mais de uma flotilha, o comandante da primeira terá o número 1, pintado a tinta branca na parte superior da corneta, junto à tralha; o comandante da segunda terá o número 2 e assim sucessivamente.

31. O distintivo de comandante de força será uma bandeira farpada, com 21 estrelas brancas em cruz pintadas sobre fundo vermelho; esta bandeira será traçada em um retângulo de 0,25 x 0,35 e será usada nos lugares correspondentes aos das "cornetas" acima citadas.

TIPOS DE AVIÕES

C1B boeing de caça
M1W waco CSO
M2W waco cabine
M3W waco f5
E1F Fairey Gordon
P1M P.M. (Martin)
O2V Vought V66B
I1H Moth Trainer
I2H Tiger Moth
I2H1 Tiger Moth (major)
U3H Fox Moth
I1AvN Focke Wulf 44
V2Fw Focke Wulf (bimotor)
V1NA North American
M1Be beechcraft
M1L

Luscombe

Texto: César Ferreira
Adaptação:


Eventos | Fórum | Eu Quero! | Mercado de Pulgas | Galeria
Variedades | Como Construir | Dicas | Ferramentas
Lojas no Brasil | Administrativo | Livros | Links

Melhor visualizado em resolução 1366 x 768
Eventos Agendados
Janeiro
S T Q Q S S D
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        

Fevereiro
S T Q Q S S D
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28