Aviação Sueca

  Cores da FAB

  Matrículas da FAB

  Modelos da FAB

  Aviação da Marinha

  Fraternidade do Fole

  Luta Antissubmarino

  Luftwaffe WWII

  RAF

  Faixas do Dia D

  Armas

  Fokker

  Seversky

  Motherships

  Dirigíveis

 << Voltar
A Fraternidade do Fole

Em 1940, Mr. Tom W. Sloper, cidadão brasileiro de ascendência inglesa, incentivou a criação no Brasil de uma associação entre os ingleses residentes no país, denominada "The Fellowship of the Bellows". Destinava-se a angariar fundos para adquirir aviões para a Royal Air Force, a RAF, então fortemente envolvida em combates aéreos no episódio conhecido como a Batalha da Inglaterra. Os aviões comprados com esses fundos eram batizados com nomes sugeridos pela Associação. As doações eram simbólicas e normalmente cobriam apenas parte do preço de aquisição dos aparelhos e em muitas vezes foram batizados aviões que já se encontravam em serviço. Posteriormente a Associação foi aberta para sócios de todas as nacionalidades e tornou-se mais conhecida pelo seu nome em português: A Fraternidade do Fole.

Mr. Sloper inspirou-se em uma associação de expatriados britânicos que existia em Buenos Aires e já usava esse nome. Mais tarde outra associação foi fundada no Uruguai. As Fraternidades chegaram a ficar muito conhecidas nos três países, contando com milhares de associados. Os fundos arrecadados na Argentina propiciaram a doação de aviões Westland Whirlwind para a RAF já em 1940. Foram doados 11 Whirlwind, dois deles batizados "Bellows Argentina 1 e 2" utilizados pelo 263o Squadron.


O Westland Whirlwind I, P7116 "Bellows Argentina No. 2" do Squadron Leader T. Pugh, comandante do 263o Squadron em janeiro de 1942, baseado em Colerne. Nota-se o nome sob o cockpit.


Perfil do "Bellows Argentina No. 2" in Air International Março/95


Whirlwind I, P7094, do 263o Squadron, piloto Flight Lieutenant Blackshaw.

Caças Supermarine Spitfires foram doados com dinheiro levantado na Argentina, Uruguai e outros países latino-americanos. Não temos certeza de que todos os seguintes aviões foram comprados com doações da Fellowship of the Bellows, mas os relacionamos abaixo até que possamos elucidar o assunto, bem como identificar o país doador de cada um deles. Fontes diferentes estabelecem 13 ou 16 doados pelo Uruguai, 4 pela Argentina, 2 ou 3 pelo Chile, 2 pela Bolívia, 2 pela Colômbia e 3 ou 4 pelo Peru, contudo é evidente que também houve doações de outros países:

Argentina:

  • P7753 "Pampero I", Mk.II, que foi entregue à 24 MU em 11.12.40, para o 65o Squadron em 14.01.41, passou para o 606o Squadron em 26.02.41 e acidentado em operações em 05.05.41 com 93:25 horas de vôo;
  • P7754 "Pampero II", Mk.II, à 24 MU em 09.12.40, ao 65o Squadron em 13.01.41, para o 616o Squadron em 26.02.41, ao 19o Squadron em 04.09.41, ao 331o Squadron (Norueguês) em 02.11.41 e para a 53 OTU em 13.01.43, sendo desativado em 25.09.44;
  • P7755 "Pampero III", Mk.II, à 24 MU em 09.12.40, ao 610o Squadron em 26.02.41, ao 130o Squadron em 27.06.41, ao 41o Squadron em 22.07.41, desapareceu em vôo de treinamento sobre o mar perto de Grimsby em 29.07.41;
  • P7756 "Pampero IV", Mk.II, à 37 MU em 10.12.40, ao 54o Squadron em 13.03.41, ao 403o Squadron em 14.07.41, ao 457o Squadron em 27.09.41, descarregado em 19.11.44;
  • Mosquito B.XVI, usado pelo 692 Squadron do Bomber Command.
Chile:
  • W3838 "Valparaiso", Mk. V que voou em 05.09.41, foi para a 38 MU em 07.09.41 e entregue ao 611o Squadron em 15.09.41 e desapareceu em operações em 22.10.41;
  • AD505 "Condor", Mk. V entregue à 12 MU em 23.10.41, distribuído ao 92o Squadron em 30.10.41, para o 417o Squadron CITY OF WINDSOR (Canadense) em 06.02.42, para o 242o Squadron em 06.05.42, para o 243o Squadron em 06.06.43, acidentado em 10.07.43, enviado à Scottish Aviation para reparos em 16.07.43, entregue à 315 MU em 07.11.43 para desmonte e despacho por via marítima para a Rússia aonde chegou em 24.03.43.
Cuba:
  • P8666 "Cuba", Spitfire Mk. IIb entregue à 37 MU em 18.04.41, para o 610o Squadron em 02.06.41, para o 616o Squadron em 19.07.41, para o 315o Squadron (Polonês) em 26.07.41, para o 266o Squadron em 06.09.41, para o 65o Squadron em 25.09.41, novamente para o 616o Squadron em 06.10.41, para o 504o Squadron em 25.11.41, destruído em pouso forçado perto de Kirkistown em 14.01.42, para a Short & Harland em 17.01.42;
Peru:
  • W3409 "The Peruvian Oil Fields", Mk. V, que voou em 12.06.41, para a 9 MU em 13.06.41, para o 74o Squadron em 30.06.41, para o 92o Squadron em 07.08.41, desaparecido em operações em 21.08.41;
  • EN851 "Lima Challenger", Mk. V entregue à 12 MU em 07.05.42, para a base de St Athan em 20.06.42, para o Air Service Training em 16.11.42, para a Cunliffe Owen Aviation para conversão a Seafire Ib NX952 em 17.03.43. Na Fleet Air Arm foi distribuído à base de Lee on Solent em 19.05.43, para a Vickers-Armstrong Ltd. em 26.05.43;
  • ER783 "Lima Challenger II", Mk. V entregue à 45 MU em 16.10.42, para a 215 MU em 08.11.42 e despachado via marítima 19.11/08.12.42 para Gibraltar, levado em vôo para o noroeste da África em 28.02.43, para a Mediterranean Allied Air Force em 21.06.42, onde foi usado pelo 249o Squadron, entregue à França em 03.07.45;
  • ER810 "Inca", Mk. V, para a 45 MU em 16.10.42, para a 82 MU em 01.11.42 e despachado via marítima 19.11/08.12.42 para Gibraltar, levado em vôo para o noroeste da África em 28.02.43, para Malta em 01.07.43, para a Northwest African Air Force em 01.09.43, para a Turquia em 28.12.44;
Uruguai:
  • W3329 "Spirit of Uruguay", Mk. V, entregue à 6 MU em 15.06.41, ao 611o Squadron em ?? e desaparecido em 21.07.41 perto de Lille, piloto Sargent Grainger dado como desaparecido;
  • AD328 "Sangre Charrua", Mk. V, à 45 MU em 15.10.41, ao 310o Squadron (Checo eslovaco) em 04.12.41, acidentado em 15.07.42, entregue ao Air Service Training para reparo e descarregado em 31.07.42 com 183 horas de vôo;
  • AD348 "Alas del Uruguay", Mk. V, era um Mk. LF Vb, à 9 MU em 06.10.41, ao 609o Squadron em 13.10.41, ao 131o Squadron em 31.03.42, avariado em operações em 19.08.42, para o AST para reparo, com o 501o Squadron em 06.11.42, para modificações na Short & Harland e para o 610o Squadron em 15.07.43, acidentado em 05.10.43, reparado e para o 130o Squadron em 30.01.44, para o 222o Squadron em 16.02.44, para o 322o Squadron (Holandês) em 17.03.44, para a 57 OTU em 05.10.44, descarregado em 15.02.45
  • AD351 "Montevideo", Mk. V, à 45 MU em 08.10.41, ao 317o Squadron (Polonês) em 18.10.41, abalroado pelo Spitfire AD350 e descarregado em 16.03.42;
  • BM236 "Fellowship of the Bellows", um Mk. V entregue à 8 MU em 14.03.42, para o 602o Squadron em 29.05.42, desaparecido em operações em 25.06.42 com 48:15 horas de vôo;
  • EE602 "Central Uruguayan Railways Staff", Mk. LF.Vc, para a 33 MU em 11.09.42, para o 66 o Squadron em 21.10.42, para o 129 o Squadron em 19.02.43, para o 453 o Squadron (Australiano) e acidentado em vôo em 17.07.43, reparado, acidentado em vôo em 18.03.45;
  • EN525 "Central Uruguayan Railways Uruguayan Staff", Mk. V, voou em 11.02.43, foi para o 64o Squadron em 13.02.43, para a base de Boscombe Down para testes em 12.07.43, para o 129o Squadron em 29.07.43, para o 412o Squadron (Canadense) em 26.08.43, para o AST em 08.01.44, acidentado em 07.04.44 e reparado; vendido em 05.12.49;
  • ER852 "Spirit of Uruguay I", Mk. V, à 38 MU em 21.10.42, à 82 MU em 06.11.42, para Gibraltar via marítima 19.11 a 08.12.42, em vôo para o noroeste da África em 28.10.43, descarregado em 26.04.45;
  • ER859 "Spirit of Uruguay II", Mk. V, à 38 MU em 24.10.42, à 76 MU em 18.11.42, para Gibraltar via marítima 03 a 31.12.42, em vôo para o noroeste da África em 30.04.43, para o North African Allied Strategic Command em 31.10.43, descarregado em 26.04.45;
  • MA255 Üruguay X", Mk. IX com motor Merlin 63, à Rolls Royce em 18.06.43, para a Heston Aircraft em 03.06.44, para a General Aircraft Ltd. em 29.10.44, para a 83 Grading School Unit em 04.11.44, para o 412o Squadron, acidentado em 27.12.44, para o AST em 19.02.45, recondicionado pela Westland Aircraft e vendido à Turquia;
  • MA503 Üruguay VIII", Mk. IX com motor Merlin 63, à 6 MU em 12.06.43, para a 76 MU em 19.06.43, para Casablanca via marítima 03 a 14.07.43, para o Oriente Médio em 01.09.43, para a Northwest African Air Force em 01.11.43, para o 327o Squadron (Francês) em 05.04.45, para o 81 Repair & Servicing Unit em 19.04.45;
  • MA507 Üruguay XII", Mk. IX com motor Merlin 63, à 6 MU em 13.06.43, para a 76 MU em 19.06.43, para Casablanca via marítima 03 a 14.07.43, para o Oriente Médio em 01.09.43, para a Northwest African Air Force em 30.11.43;
  • MA511 Üruguay XI", Mk. IX com motor Merlin 63, à 6 MU em 13.06.43, para a 76 MU em 23.06.43, para Casablanca via marítima 03 a 14.07.43, para o Oriente Médio em 01.09.43, para a Northwest African Air Force em 01.11.43; acidentado 19.12.43;
  • MA513 Üruguay IX", Mk. IX com motor Merlin 63, à 6 MU em 13.06.43, para a 76 MU em 19.06.43, para Casablanca via marítima 03 a 14.07.43, para o Oriente Médio em 01.09.43, para a Northwest African Air Force em 01.11.43; descarregado 23.04.45.
México:
  • W3814 "Popocatepetl", Mk. V, voou em 21.08.41, para a 8 MU em 22.08.41, para o 111 o Squadron em 25.08.41, acidentado em 03.02.42, reparado, descarregado em 19.08.42;
Os países doadores dos seguintes aparelhos não foram positivamente identificadas:
  • P8193 "La Rosalinda", Mk.II, para a 39 MU em 17.03.41, para o 66 o Squadron em 09.05.41, para o 313 o Squadron em 16.09.41, para o 306 o Squadron em 06.11.41, para a 53 OTU em 08.03.42, colidiu em vôo com o Spitfire P7372 em 09.11.42, reparado para a 57 OTU em 23.07.43, colidiu contra árvores em vôo rasante em perto de Billingham 26.04.44;
  • BM241 "El Conquistador", Mk. V, entregue à 12 MU em 16.03.42, para o 122o Squadron em 14.04.42, desaparecido em operações em 01.05.42.
Além da compra de aviões, o dinheiro arrecadado na Argentina e Uruguai auxiliou na manutenção financeira de 3 esquadrões da RAF: o 263o Squadron, que recebeu o título de "Fellowship of the Bellows (Argentina)", o 164o Squadron "Argentine-British", e o 692o Squadron "Fellowship of the Bellows".

NO BRASIL

Em nosso país, a Associação que chegou a atingir 10 estados, e com os fundos arrecadados de milhares de simpatizantes, doou os seguintes Spitfires à RAF:

  • BS545, "Brazil No. 1", era um Spitfire Mk. V convertido pela Rolls Royce em Mk. IX com motor Merlin 61 e assim voou em 24.10.42, distribuído ao 122o Squadron em 27.10.42, foi avariado em operações em 01.05.43, reparado na base e entregue ao 403o Squadron (Canadense) em 16.06.43. Passou ao 229o Squadron, acidentou-se em 22.04.44, passou para o 274o Squadron e novamente acidentou-se em 08.08.44. Foi reparado e entregue à Vickers Armstrong em 10.11.44 para modificações e entrega à França em 24.05.46.
  • "Brazil No. 2", sem dados, batizado em 11/42;
  • "Brazil No. 3", sem dados, batizado em 11/42;
  • "Brazil No. 4", matrícula JL120, batizado em 04/43;
  • "Brazil No. 5", matrícula JL161, batizado em Hendon em 04/43 pelo embaixador brasileiro.
A seção da Fraternidade em São Paulo agia de forma independente e apoiada pela colônia britânica local, doou os seguintes Spitfires à RAF:
  • BM634, batizado "O Bandeirante", era um Spitfire Mk. Vb, aceito em 03.05.42 pela 6 MU que o distribuiu em 13.06.42 ao 111o Squadron em Debden. "O Bandeirante" tornou-se o aparelho do comandante da unidade até 21.05.43, quando passou para o 122o Squadron, sendo abatido por um Me 109 perto de Cayeux (perto de Abbeville, França) em 18.07.43, com 136 horas de vôo;


    Vickers Supermarine Spitfire VB Serial No. BM634, "O Bandeirante", usado pelo Comandante do 111o Squadron da RAF, base de Debden, em julho de 1942. Camuflagem Ocean Grey e Dark Green; Medium Sea Grey por baixo; spinner, faixa traseira e códigos em Sky; parte do bordo de ataque da asa em Yellow; serial em preto, faixa (não oficial) do 111o em preto com borda amarela nos dois lados da fuselagem dianteira, "badge of rank" de Squadron Leader sob o pára-brisas no lado esquerdo da fuselagem, nome "O Bandeirante" em branco nos dois lados do cockpit.

  • BS546, batizado "O Guarany", era um Spitfire Mk. V, convertido a Mk. IXc com motor Merlin 61 e voou em 24.10.42, recebido pelo 122o Squadron em 27.10.42, para o AST para reparo em 10.12.42 e retirado de serviço em 28.02.43;


    Vickers Supermarine Spitfire IXc Serial No.BS546, "O Guarany", usado pelo 122o Squadron RAF, Hornchurch, 1942. Cores como no anterior.

  • EP166 (JU-N), "O Bandeirante", era um Spitfire Mk. Vb, com motor Merlin 45. Aceito em 28.05.42 pela 39 MU que o distribuiu ao 111o Squadron em 16.07.42 onde recebeu o código JU-M. Para a Vickers Armstrong em 28.05.43 para ser convertido no Seafire IB PA117.


    O Squadron Leader P.R. Wickham diante do Spitfire Vb Serial No. EP166, JU-N, batizado "O Bandeirante", que serviu no 111o Squadron e depois foi transformado em Seafire para a Fleet Air Arm.

A seção da Fraternidade do Fole no Rio de Janeiro, coordenou a doação dos seguintes Spitfires:
  • BM161 "Botafogo", que era um Mk. Vb entregue à 12 MU em 10.03.42, para o 485o Squadron (Neozelandês) em 18.03.42, para o 602o Squadron em 25.03.42, acidentado em operações em 06.05.42 e retirado em 13.05.43;
  • JG875 "Bem-Te-Vi", um Mk. Vc entregue à 15 MU em 21.12.42, passou para a 76 MU em 31.12.42 para ser preparado para despacho por navio. Em 20.01.43 foi embarcado no cargueiro Atlantic City com destino a Takoradi, na Costa do Ouro, aonde chegou em 11.03.43, montado e remetido em vôo através da África para o Oriente Médio aonde chegou em 01.11.43 e retirado do serviço em 13.09.45;
  • "Carioca", sem informações;
  • "Fluminense", sem informações.
A partir da entrada do nosso país na guerra, a Fraternidade passou a distribuir as doações também para a Força Aérea Brasileira e pelos menos dois aviões foram batizados em homenagem à Fraternidade, o Lockheed 414-7172 Hudson A-28A "Britannia no. 1" e o Consolidadet Vultee PBY-5 Catalina "Arará".


Lockheed 414-7172 Hudson A-28A da FAB. No leme a inscrição "Doado pela Inglaterra" e no nariz, um fole (bellows), pintado sob o nome "Britania no. 1". Coleção Rogério Terlizzi.


Detalhe da cauda do PBY-5 "Arará". Apesar de já pertencer à FAB, foi batizado após a Fraternidade do Fole ter doado parte do seu valor ao governo brasileiro.

A Fraternidade também propiciou a doação de 9 caças-bombardeiros Hawker Typhoon IB à RAF. Batizados "Bellows Brazil I a IX", os Typhoons foram entregues em cerimônia que contou com a presença do embaixador brasileiro em Londres, Dr. Moniz de Aragão e foram recebidos em nome do governo inglês por Lorde Sherwood, subsecretário de Estado da Aeronáutica, sendo incorporados ao 193o Squadron "Fellowships of the Bellows (Brazil)", comandado pelo Squadron Leader GW Petre, DFC, na base da RAF em Harrowbeer, Corwall, em 16 de outubro de 1943. Na mesma ocasião o Esquadrão adotou o titulo oficial "The Fellowship of the Bellows of Brazil Squadron", nome que era utilizado em todos os documentos, inclusive nos relatórios de vôo.


Foto coleção Marcos H. Gonçalves


O Typhoon JP784, DP-X do comandante Squadron Leader Petre com a bandeira brasileira no dia da cerimônia . Ostenta na porta o símbolo da Fraternidade e os dizeres "Bellows Brazil I". Ao lado o Typhonn JP918.

Os Typhoons IB em questão eram os Serial No. EK132, EJ930, JP784, JP861, JP902, JP904, JP918, JP919 e JP939.


Foto coleção Marcos H. Gonçalves.



Hawker Typhoon IB, JP919, DP-N, "Bellows Brazil 3", do 193o Squadron RAF, baseado em Harrowbeer, em 1943. Cores: Dark Green e Ocean Grey por cima; Medium Sea Grey embaixo; spinner, código e faixa traseira em Sky; serial em preto; 3 faixas de identificação brancas de 18 polegadas e 4 pretas de 12 polegadas sob as asas, específicas para distinguir o Typhoon do Fw 190 (não confundir com as faixas da Invasão da Normandia: 3 brancas e duas pretas de 18 polegadas) e nome "Bellows Brazil 3" em branco sob os dois lados do cockpit.


Hawker Typhoon IB, EJ967, na pintura que apresentava no dia da entrega ao 193o Squadron em 1943. Cores como acima.


O Typhoon EK132, DP-E, atingido pela flak em 30.12.43 na costa da França. O piloto na ocasião era o Flying Officer Bill Switzer. Note a inscrição na porta. "Bellows Brazil IX".


O Typhoon EJ930, DP-K após pouso forçado perto da base em Harrowbeer em 17.02.44. O piloto era o Sargent Powell.

A seguir alguns aviões Typhoon IB usados pelo 193o Squadron:

  • R7651, inicialmente permaneceu com o fabricante para testes, distribuído ao 609o Squadron, passou para a Fighter Interception Unit, foi para o 193o Squadron e depois à 55 OTU. "SOC" em 26.09.46;
  • R7684, recebido pelo 56o Squadron em 25.04.42., foi utilizado pelo Wing Commander John Grandy, comandante da Duxford Wing, com o código pessoal JG. Passou para o 193o Squadron em 21.01.43 e "SOC" em 20.10.43.
  • DN256.
  • DN267, código DP-B depois DP-J,
  • EJ899, DP-P,
  • EJ923, DP-Y. Para o 193o Squadron, passou ao 175o Squadron e depois à 56 OTU. SOC em 06.01.47;
  • EJ928, para o 193o Squadron, passou ao 197o Squadron com o código OV-A. SOC em 21.08.46.
  • EJ930, "Bellows Brazil ??", DP-K, para o 193o Squadron. Passou para o 198o Squadron e SOC em 23.10.45.
  • EJ934, usado pelos 175o e 183o Squadrons, foi para o 193o e depois ao 266o Squadron. SOC em 18.02.46.
  • EJ967, portava o código DP-D, depois DP-B, foi recebido pelo 193o Squadron em 18.02.43. Foi para o 164o Squadron em 25.08.43 com o código FJ-C. Abatido pela "flak" perto de Kleve (norte da Alemanha) em 13.02.45.
  • EK132, "Bellows Brazil IX", DP-E depois DP-X, recebido em março de 1943, primeiro avião do S/L Petre, abatido pela flak perto de Beauvoir com outro piloto em 26.03.44;
  • EK133, DP-T,
  • JP433, DP-U,
  • JP491, DP-Z,
  • JP497, DP-L,
  • JP499, DP-A,
  • JP500, DP-F,
  • JP784, "Bellows Brazil I", DP-X, recebido em setembro de 1943, segundo avião do S/L Petre, acidentou-se na decolagem em Powerstock, Dorset em 1944
  • JP802.
  • JP861, "Bellows Brazil ??", DP-C, distribuído ao 193o Squadron em 03.10.43, passou para a 3 TEU e depois à 59 OTU. SOC em 15.08.46;
  • JP902, "Bellows Brazil ??", DP-G. Para o 193o Squadron em 03.10.43. Incendiado pela explosão da bomba que ejetou em emergência sobre o mar. Caiu a 16 quilômetros ao norte do Cap de la Hague, França, em 04.02.44;
  • JP904, "Bellows Brazil ??", DP-H; Entregue ao 193o Squadron em 03.10.43. Passou ao à 3 TEU. Destruído em pouso forçado perto de Alburton, Inglaterra, em 27.09.44;
  • JP918, "Bellows Brazil ??", DP-D, distribuído ao 193o Squadron em 03.10.43, foi transferido para o 245o e depois ao 174o Squadron. Sofreu pane seca e pousou forçado perto de Ypres (norte da Bélgica) em 26.12.44, com perda total;
  • JP919, "Bellows Brazil IV", DP-N. Recebido pela 20 MU em 27.09.43, distribuído ao 193o Squadron em 03.10.43, para a 3 TEU em 18.04.44, para a Cunliffe Owen em 28.04.44, para a 5 MU em 31.05.44 e para o 168o Squadron em 12.10.44. Abatido pela "flak" perto de Malmedy, sudeste de Li├Ęge, na Bélgica, em 25.12.44.
  • JP922, distribuído ao 193o Squadron em 03.10.43, depois para o 181o e para o 182o Squadron. Dado como desaparecido em Springe-Dulmen, Inglaterra, em 23.02.45.
  • JP939, "Bellows Brazil ??", DP-R,
  • MN146, código DP-D,
  • MN252, código DP-M.
  • MN473, código DP-G,
  • MN712, código DP-B.
  • MN967, Código DP-J.
  • MN886, código DP-E.
  • MN970, código DP-R.
  • MN982, código DP-X.
  • MP185, código DP-Z.
  • PD500, código DP-S, avião do comandante Squadron Leader Derek Erasmus em 1944.
  • PD600, código DP-C,
  • RB227, código DP-P.
  • RB254, código DP-U.
  • SW493, código DP-S.

Esquadrões da RAF onde serviram os aviões doados pelo Brasil:

O 111o Squadron "Treble One", onde atuaram os "O Bandeirante", faz parte até hoje da elite de caças da RAF. Foi criado em 01.08.17, na base de Deir-el-Ballah, Palestina, a partir de um núcleo do 14o Squadron e equipado originalmente com aviões de caça Bristol Scout, Bristol M1B, DeHavilland DH2 e Vickers FB 19. Posteriormente recebeu os caças Bristol F2b Fighter, SE 5A, Nieuport 17, 23 e 24. Em janeiro de 1919, após breve estada no Egito, voltou à Palestina e na base de Ramleh equipou-se unicamente com os Bristol Fighter até ser desativado em 01.02.20.

Foi reativado em 01.10.23 na base de Duxford, Inglaterra, equipado sucessivamente com caças biplanos Gloster Grebe II, Sopwith Snipe, Armstrong Whitworth Siskin II e IIIA, Bristol Bulldog II e Gloster Gauntlet I e II. Em dezembro de 1937, baseado em Londres-Northold, foi o primeiro a receber o Hawker Hurricane I, aparelho que utilizou na Batalha da Inglaterra, subordinado ao 11 Group do Fighter Command. Em março de 1939 todos os aviões receberam o código TM, trocado em outubro para JU, que foi mantido até 1947. O Supermarine Spitfire Mk I foi recebido em abril de 1941, seguido pelo Spitfire IIA em maio e pelo Spitfire VB em agosto, servindo em diversas bases na Inglaterra e em permanente combate contra os Messerschmitt Me 109 e depois Focke Wulf Fw 190 baseados na França.

Em outubro de 1942 o Esquadrão equipou com Spitfires VC e foi destacado para a invasão da África Ocidental, voando via Gibraltar para a Argélia e logo para a Tunísia. Em junho de 1943 foi para a ilha de Malta, onde equipou com Spitfire Mk IXE para participar da invasão da Sicília em julho e da invasão da Itália em setembro. Permaneceu em diversas bases na Itália, (inclusive Tarquínia em junho de 1944), até a invasão do sul da França em agosto (bases em Ramatuelle, Sisteron, Lyon-Bron e La Jasse). Voltou à Itália em outubro (Peretola, Rimini, Ravenna e Rivolto) e seguiu para a Áustria em maio de 1945 (Klagenfurt e Zeltweg), como parte da força de ocupação. Em setembro de 1946 voltou à Itália até sua desativação na base de Treviso em maio de 1947. Novamente recriado na base de North Weald, Inglaterra, em dezembro de 1953, foi equipado sucessivamente com jatos Gloster Meteor F.8, Hawker Hunter F.4 e F.6, English Electric Lightning F.1A, F.3 e F.6, recebeu o McDonnell Phantom FGR2 e FG.1 em outubro de 1974 e janeiro de 1978 respectivamente e hoje opera os BAe Tornado F.3 a partir da base de Leuchars, na costa do Mar do Norte.

Em 1956 formou a famosa esquadrilha de demonstrações "Black Arrows", liderada pelo Squadron Leader R. L. Topp, inicialmente fazendo demonstrações com 4 e depois com 16 Hawker Hunters pintados de preto.

O 122o Squadron foi formado em janeiro de 1918 em Sedgeford, Inglaterra e equipado com diversos tipos de aviões de treinamento, sendo desativado em novembro sem ter participado da 1a Guerra Mundial. Recriado em 05 05.41, em Edinburgh-Turnhouse, Escócia, foi equipado com o Supermarine Spitfire Mk I e a seguir com os Spitfire Mk IIA, IIB, VB, IX e VB, todos com o código MT. Sob o comando do Squadron Leader Don Kingaby, utilizou os Mk IX e VB no raid a Dieppe em agosto de 1942 como parte da Hornchurch Wing.

Padronizou no Spitfire IX em agosto de 1943 e em janeiro de 1944 equipou com o North American Mustang III que usou na Invasão da Normandia em junho, utilizando diversas bases na França (Martragny, Ellon, St-André-de-lÉure e Beauvais) e Bélgica (Grimbergen), voltando para a Inglaterra em setembro. Recebeu o Mustang IV em maio de 1945 em Peterhead, voltou ao Spitfire Mk. IX em agosto em Dyce e em fevereiro de 1946 equipou com Spitfire F.21, que usou até ser desativado em abril na base de Dalcross. Recebeu o título oficial "Bombay", em honra da cidade indiana (Bombain) que o financiou durante a 2a Guerra Mundial.

O 193o Squadron foi formado em 09.08.17 no Egito e desmobilizado em 21.07.1918. Foi reformado em dezembro de 1942 em Harrowbeer, ao norte da cidade de Plymouth, Inglaterra, com aviões Hawker Hurricane II para treinamento e em janeiro de 1943 começou a receber caças Hawker Typhoon IB operacionais, todos com o código DP.

Começou a operar em abril, encarregado de interceptar ataques de baixa altura da Luftwaffe contra a costa sul da Inglaterra e providenciando escolta para aviões da RAF em missões anti-navio. Em janeiro de 1944 começou a operar em missões de caça-bombardeio e passou a fazer parte do 84th Group , 146th Wing da 2nd Tactical Air Force em abril, atuando sobre a Europa Ocupada a partir das bases inglesas de Gravesend, Harrowbeer, Fairlop, Thorney Island, Llambedr, Needs Oar Point e Hurn.

Em uma missão pouco antes da Invasão da Normandia, dois Typhoons do Esquadrão atacaram em Sainte-Foy de Montegommery o carro em que viajava o Marechal de Campo Erwin Rommell, provocando seu afastamento do fronte até depois da Invasão, para tratar dos ferimentos recebidos. O Esquadrão passou para o continente em julho, operando das bases de Ryes, Ste-Croix-sur-Mer, Morainville e Lille-Vendeville na França, seguiu para Deurne, na Bélgica em outubro, foi para a Holanda em fevereiro de 1945 (Mill depois Drope) e para Ahlhorn, Alemanha em abril, sendo desativado em agosto de 1945 em Hildesheim, Alemanha. Recebeu o título oficial "Fellowships of the Bellows (Brazil)".

The Imperial War Museum have quite a number of photographs of some of these aircraft:
O BANDEIRANTE BM634 IWM Photos CH5931, CH5938 & CH5945.
O BANDEIRANTE EP166. IWM Photos CH6825 , CH6826 & CH6827 with Sqn Ldr P.R.Wickham
O GUARANY BS546 IWM Photos CH8162 , CH8163 & CH8164 with P/O G.Le.Gall.
BELLOWS BRAZIL No.I BS545 IWM Photos CH7661 to CH7668, also CH7804 & CH7805 with Bellows emblem.

Texto:

Eventos | Fórum | Eu Quero! | Mercado de Pulgas | Galeria
Variedades | Como Construir | Dicas | Ferramentas
Lojas no Brasil | Administrativo | Livros | Links

Melhor visualizado em resolução 1366 x 768
Eventos Agendados
Janeiro
S T Q Q S S D
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        

Fevereiro
S T Q Q S S D
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28