A quem se destina

  Escolhendo seu kit

  Antes de começar

  Montando a cabine

  Cockpit em 8 passos

  Os Canopies

  Fazendo Canopis

  Re-Scribbing

  Rebites

  Estais

  Metal Fatigado

  Shading

  Giz Pastel

  Wash

  Envelhecimento

  Em Andamento...

  Especiais

  Walk-Arounds

  Downloads

  Referências

  Sites de Aviões

  Outros Sites

 <<Voltar
Revell/Scratchbuilt IAI LAVI 1/32

REBOQUE DO MOTOR:

Meu objetivo é criar uma apresentação do LAVI em manutenção. Neste caso, um pequeno scratch do carro que transporta a turbina PW-1120 se fez necessário. Com o motor pronto, o primeiro passo é medir o modelo e calcular a escala do ?carrinho?. Com a ajuda do Corel Draw11© efetuei o desenho esquemático do mesmo (vistas e peças)...


Após impressão em papel comum, apenas recorto as peças para depois usá-las no recorte em material mais forte. Decidi usar ?cartão de telefone público?, pois avaliei o material e ele é bem resistente e leve (tem certa resistência para dobra, mas atenderá ao objetivo)...


O desenho de duas posições é o guia para a montagem...

Os trilhos foram feitos com 03 chapas recortadas de uma placa de material plástico que achei na rua... Usei estilete e régua para o corte...


Trilhos prontos... O material plástico permitiu um excelente acabamento...

Com a ajuda dos gabaritos em papel, recortei no plástico de cartão de telefone público as vigas de sustentação do motor. Depois de coladas com isocianoacrilato, apliquei putty e lixei para um acabamento melhor (Obs: elas são ocas)...


Em seguida, recortei em chapa de alumínio as peças de conexão das longarinas...


Os trilhos recebem pintura em alumínio (usei spray automotivo)...



Os montantes dos trilhos foram recortados e colados com isocianoacrilato...


Montantes prontos... Notar os rebites feitos com "Dremel tabajara"...

Um reforço em chapa de alumínio dá mais firmeza ao conjunto...

O próximo passo é fazer em alumínio os patins das vigas de sustentação (destinados a deslizar pelos trilhos)...



Reparem nos furos de 0,6 mm feitos com brocas adequadas...

Agora é colar os trilhos nos montantes tentando alinhar o conjunto...



Reparem no resultado dos rebites feitos nos montantes... Muito realistas!


Tentativas de alinhamento... Bem trabalhoso...


Um "zoom" do conjunto... Ficou bem real...

Em seguida, as vigas de sustentação são coladas no lugar. Um pequeno pino metálico (feito com eixo de prendedores de cabelo) para sustentar o motor é incorporado na viga de sustentação dianteira. Essa peça tem que ficar bem colada para não soltar quando o motor ficar ?pendurado? nela...


Conjunto montado e colado... Falta colar o pino de sustentação, pois o alinhamento deve ser feito com tudo fixado...


Reforços com cola foram necessários, pois o conjunto vai sustentar o peso do motor. O carro já começa a tomar forma...


As longarinas laterais são coladas para compor os detalhes. Elas foram feitas com sprue esticado no fogo de vela. Essas longarinas são bem difíceis de fazer (fiz várias até chegar a um ponto de diâmetro que atendesse à escala)...




Este tipo de carro para transporte, colocação e retirada do motor sustenta a turbina por meio de um pino metálico localizado na própria turbina, normalmente presente no centro de gravidade da mesma. Uma vez fixado na viga de sustentação, o motor pode ser retirado (ou colocado) pelo trilho superior e inferior presentes na carenagem do motor (internamente no avião). Este tipo de sustentação permite a inclinação do motor para se alinhar ao trilho...


Usando uma chapa de latão removida de um disquete velho (mais resistente que a chapa de alumínio), confeccionei a trava presente na PW-1120. Esta trava é que vai se encaixar no pino de fixação do carrinho de transporte...


Peça pronta. Tem que ser de material mais resistente para agüentar o peso distribuído em um só ponto...


Peça colada na PW-1120...


Detalhes do conjunto...


Pino no lugar (ele é apenas encaixado na turbina)... Alinho o motor ao conjunto para finalmente colar o pino de fixação na viga de sustentação (todo cuidado é pouco para se obter um bom alinhamento do conjunto)...


Agora parto para os detalhes finos. Alfinetes de costura com uma pequenina chapa plástica recortada vão compor os prendedores manuais de giro...


Por fim, os detalhes da viga de sustentação e longarina de engate superior são colados no devido lugar...




O conjunto agradou em realismo. Mas não acabou ainda. Faltam mais detalhes finos...



O alinhamento ficou bacana...

Um teste de sustentação da turbina já pode ser feito. Agradou bem. A parte chata é que o centro de gravidade do modelo da turbina ficou bem longe do que deveria ser. Fiz tentativas de aumentar o peso na ponta da turbina, mas ia comprometer quando a mesma estivesse dentro do avião. Decidi então fazer um pequeno cabo fixador para a parte de trás. Mas o resultado já está bem satisfatório...


Agora preciso de rodas para o reboque do motor... Onde conseguir tendo em vista que é um trabalho em scratch?

Avaliando uns brinquedos de minha filha, achei uma roda que serviria para atender ao propósito, porém, não quero estragar o brinquedo dela...

A solução é fazer ?moldes? baseados numa matriz! A técnica consiste em usar uma roda de brinquedo como base para a roda pretendida ao modelo em construção.

Primeiro, destaco as rodas do brinquedo e preparo um pouco de gesso rápido. O material é bem barato e rápido para trabalhar.


Em seguida, afundo as rodas até a sua metade...


Aguardo secar o gesso...


Desenformando em seguida...


Aplico uma camada de cera líquida incolor (para ajudar a desenformar) e após secar, uso massa ?Durepox? para preencher as fôrmas. Espero secar pelo tempo indicado pelo fabricante...


Usando uma espátula, desenformo as futuras ?peças?...


Peças desenformadas. Geralmente a fôrma de gesso não é reaproveitável...


As peças saem com um pouco de resíduo do gesso, porém é só lavar em água corrente para sair tudo. Uma escova de dente velha auxilia na limpeza...


Peças limpas...

Agora é lixar bem até o centro da roda se soltar e colar as metades para termos um ?pneu?. Às vezes o uso de putty é necessário para corrigir algo...


"Pneus" com putty aplicada... Fator necessário para um bom acabamento...


Já temos um "pneu" para o reboque...

O próximo passo são as rodas... Usando um pequeno tubo de bobina de FAX, corto anéis que vão servir de rodas. Um pequeno corte serve para regular o diâmetro necessário...



Agora temos uma roda bem fácil de pintar...


Conjunto pronto...

Usando chapa de alumínio, alguns palitos de pirulito infantil e alfinetes de costura, confecciono os eixos e sistema de giro das rodas (tudo baseado no desenho inicial ?planta? feito anteriormente)...




Teste de encaixe na roda...

Colo o conjunto na estrutura do reboque e faço com chapa de alumínio os prendedores das rodas. O objetivo é proporcionar rotação às rodas...


Conjunto central da roda pronto. Notem os ?rebites? e simulação de parafusos feitos com Dremel ?Tabajara?...

Usando a técnica do fio de solda (muito usado pelo pessoal da militaria), moldo os engates traseiro e dianteiro do reboque...


O engate dianteiro é colado numa barra feita com sprue lixado até virar um paralelepípedo...



Bom resultado nessa técnica...

O próximo passo é criar alguns parafusos limitadores dos patins e manivelas acionadoras das travas dos prendedores manuais de giro...


Minúsculos "parafusos" limitadores...


Usando arame e chapa de alumínio, confecciono os braços acionadores das rodas dianteiras. O conjunto será móvel...



Com a mesma técnica do fio de solda, moldei o gancho de suspensão da turbina (usei fio de cobre para fazer o ?cabo de aço?)...


A "mecânica" está pronta...



Começo a pintura dos pneus. O preto fosco é o que mais gosto...


Pinto as rodas na cor amarela...


Não preciso mascarar a roda...

E finalmente o conjunto recebe pintura amarela...


Algumas pecinhas complementares são feitas com chapa de alumínio...



E finalmente as rodas são coladas com isocianoacrilato. O resultado ficou bom...




As pequenas peças de detalhes são coladas...


Agora o reboque do motor ficou pronto...





Começo o trabalho de envelhecimento via dry-brush...





Para finalizar, o teste de vinheta do motor em seu reboque...







Agora uma passada nos detalhes...





Pneus...


Detalhe do minúsculo parafuso limitador dos patins do reboque...




Sujeira e desgaste...

As marcações normalmente vêm na fase de decais. Porém, notei que era pouca coisa e resolvi mascarar e pintar. As escritas foram feitas com caneta de escrever em CD (escritas à mão livre).




Agora um pequeno detalhe para terminar de compor o conjunto do motor/reboque:

Notem que existe um pequeno tampão plástico para proteção do compressor, mais conhecido como ?F.O.D. (Foreign Object Damage)?. Para retratar esse detalhe, o processo de vácuo-form se faz necessário, porém, preciso construir minha matriz para depois aplicar o processo.




Primeiro, recolho as medidas baseadas nas fotos da peça real e desenho no CorelDraw┬« uma vista de duas posições, extraindo as peças e dimensões necessárias...


Imprimo e recorto as peças para transpor em papelão e chapa de alumínio...


Usando papelão e uma caneta com uma tampa com forma oval, colo o conjunto adequando a forma para a matriz pretendida...


Após alguns ajustes, tenho a matriz para o vácuo-form...


Aqueço a lâmina plástica obtida de uma embalagem de escovas de dente e aplico por cima da matriz, obtendo a forma desejada...


Recorto o excesso da peça e pronto! Já tenho o "tampão"...


Aplico a tinta na cor adequada, seguido de uma ?sujeira? básica de manuseio e uma camada de verniz...


Agora a peça está pronta!


Espero que tenham gostado deste Scratch paralelo ao projeto do LAVI.

CONTINUA NA PRÓXIMA ETAPA...

Texto e Fotos:

Eventos | Fórum | Eu Quero! | Mercado de Pulgas | Galeria
Variedades | Como Construir | Dicas | Ferramentas
Lojas no Brasil | Administrativo | Livros | Links

Melhor visualizado em resolução 1366 x 768